Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo
Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
Logo da Federação Internacional de Jornalistas
Logo da Central Única dos Trabalhadores
Logo da Federação Nacional de Jornalistas

Cuba protesta contra ‘força-tarefa’ que interfere na internet

Havana protesta contra 'força-tarefa' dos EUA criada para interferir na internet cubana

Pixabay/CCO Ministério das Relações Exteriores de Cuba informou ter enviado nesta quarta-feira (31/01) à embaixada dos Estados Unidos uma nota diplomática em repúdio à “força-tarefa” do governo norte-americano para interferir na internet da ilha.  A nota foi entregue ao encarregado de negócios dos Estados Unidos na ilha, o diplomata Lawrence Gumbiner.

Havana vê as ações de Washington como uma violação da soberania cubana. O Departamento de Estado norte-americano diz que a força-tarefa vai examinar “os desafios tecnológicos” para expandir a conexão e “promover o fluxo livre e não regulado de informações” na ilha. A primeira reunião do grupo deve acontecer no dia 7 de fevereiro.

Para o governo cubano, o ato é uma “ofensa que desrespeita a competência nacional para regular os fluxos de informação e o uso dos meios de comunicação massivos”. A  nota do Ministério de Relações Exteriores pediu que o governo norte-americano interrompesse o que chamou de “ações subversivas, intervencionistas e ilegais contra Cuba”.

No comunicado, Cuba afirma que as ações dos Estados Unidos “atentam contra a estabilidade e a ordem constitucional cubana” e insta os norte-americanos a respeitarem “a soberania cubana, o direito internacional e os propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas”.

Os dois países retomaram relações diplomáticas em 2015, após diálogo liderado pelos presidentes Barack Obama e Raúl Castro. Obama chegou a visitar a ilha em 2016, mas depois que Donald Trump assumiu o governo norte-americano, a nova gestão interrompeu parte do processo de reaproximação.

De acordo com o governo cubano, o acesso à internet em Cuba tem aumentado. O jornal oficial Gramna informou que 40% da população tinha acesso garantido a internet na ilha em 2017, segundo a publicação, isso representa um crescimento de 37% com relação a 2010.

(*) Com Agência Brasil

veja também

relacionadas

mais lidas

Pular para o conteúdo