Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo
Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
Logo da Federação Internacional de Jornalistas
Logo da Central Única dos Trabalhadores
Logo da Federação Nacional de Jornalistas

Vai e Vem do Mercado (Moagem) – 08/06 a 15/06

Vai e Vem do Mercado (Moagem) - 08/06 a 15/06


trocatroca

 

 

Confira na edição desta semana do Vai e Vem: ONU aprova resolução que condena violência contra jornalistas;  Luiz Carlos Duarte deixa o Agora São Paulo depois de 32 anos; Diário da Região corta quatro jornalistas; Terra inicia cobertura da Copa América de futebol e Jamil Chade pode ir para a RedeTV.


 

Agora São Paulo

Luiz Carlos Duarte, editor-geral do Agora São Paulo, deixou o jornal em 1º/6, em busca de novos desafios. No Grupo Folha, atuou por quase 32 anos (em dois períodos acumulados), com passagens pela Folha de S.Paulo dos anos 1980, Agência Folha, sucursal de Brasília, Folha dos anos 1990, Folha da Tarde e Agora, onde esteve  desde o lançamento, em março de 1999. Seu novos contatos é lduarte@uol.com.br.

– Ele disse que sua saída foi resultado de uma negociação de comum acordo entre as duas partes: “O meu objetivo principal foi optar por novos desafios. De quebra, ganhei uma aposentadoria”. O cargo de editor-geral do Agora foi extinto e criado o de editor de Especiais e Internet, que será ocupado por Mário Rossit, vindo do UOL.

 

Editora Abril

– A Editora Abril está se despedindo de outros dez de seus tradicionais títulos, sete deles vendidos para a Editora Caras, os títulos que para lá migram são Contigo, Placar, Você S/A, Você RH, Tititi, Ana Maria e Arquitetura & Construção e três descontinuados na plataforma impressa (Exame PME, que volta a ser coberta pela nave mãe Exame; Capricho, que passa a ser exclusivamente digital, como seu público de jovens garotas nativas digitais; e o Guia Quatro Rodas, cujo conteúdo será absorvido pelas Vejinhas e por Viagem e Turismo).

– Os dez títulos que deixam o portfólio da Abril tinham pouco menos de 100 profissionais. Mas estima-se que deixam a empresa cerca de 2% de seus atuais seis mil funcionários, o que totalizaria 120 demissões. As equipes dos títulos ora comprados pela Editora Caras devem, em tese, seguir para a nova empresa, caso obviamente haja acordo entre as partes. O Sindicado dos Jornalistas  busca evitar novas demissões a partir da mobilização dos profissionais e de negociações com a empresa. Somente nos próximos dias é que se terá um cenário mais claro sobre o impacto real das mudanças.

 

RedeTV

Flávio Ricco publicou em sua coluna no UOL  em 1/6,  que Jamil Chade, correspondente do Estadão em Genebra (Suíça), estaria prestes a assinar com a RedeTV para a atuar como comentarista de assuntos internacionais da emissora. A se confirmar a informação, ele passará a integrar um time que nos últimos meses ganhou os reforços de profissionais como Celso Zucatelli, Débora Vilalba, Luciano Faccioli, Mariana Godoy e Mauro Tagliaferri.

– Jamil é amigo de Franz Vacek, superintendente de Jornalismo e Esportes da RedeTV, desde a época em que este era correspondente na Europa. Outro fato que reforça a possibilidade é que Jamil já vem entrando no ar em algumas edições do principal telejornal da emissora, o RedeTV News.

–  Além de escrever para a versão impressa do Estadão, ele mantém um blog no portal do jornal e participa da programação da Rádio Estadão.

 

SBT

– Na semana em que completou nove meses na rede, o Acelerados, projeto comandado por Gerson Campos, Cassio Cortes e Rubens Barrichello, anunciou que estreará na tevê aberta. A partir de 14/6, a atração ganha espaço na grade matinal de domingo do SBT para todo o Brasil, substituindo o programa Vrum. Com 45 minutos de duração (das 8h15 às 9h), o novo programa será produzido inteiramente pelo time do Acelerados e contará com quadros e reportagens nos mesmos moldes dos já veiculados em seu canal no youtube.  

Vrum –  Ainda sem definição sobre o seu futuro, a equipe do Vrum aguarda uma posição da TV Alterosa, afiliada do SBT em Minas Gerais. A atração, apresentada por Emílio Camanzi e Estefânia Farias, está na grade da emissora desde março de 2004 e é, segundo Emílio, vice-líder de audiência no horário: “A empresa ainda não nos passou nenhuma posição em relação ao que acontecerá com o programa e se a equipe vai ser aproveitada”.

 

Diário da Região

– Sob a alegação de corte de despesas, o Diário da Região, de São José do Rio Preto, decidiu reduzir ainda mais sua redação e, assim, abandonou de vez os projetos que havia feito em 2014. O jornal já havia cortado oito profissionais em dezembro, com o fechamento das edições de Catanduva e Votuporanga (incluindo o diretor de Redação Decio Trujilo), e cancelado a contratação de outras cinco pessoas. Agora decidiu por abrir mão da cúpula da redação: saem o editor-chefe Fabrício Carareto (há 15 anos na empresa) e o editor-executivo Marcelo Moreira, além do editor-assistente de Cidades Rogério Castro e da repórter de Cultura/Moda Cora Soares. Assume interinamente Milton Rodrigues, editor de Cidades, que já dirigiu a redação nos anos 2000. De setembro de 2014 até agora mais de 15 profissionais deixaram a empresa, com apenas uma contratação no período.

– Em março, o jornal inaugurou o seu novo portal, após mais de um ano de construção e planejamento e que resultou em um aumento de 35% nos acessos e em 30% nos visitantes únicos em apenas dois meses.

– Fabrício formou dupla com Decio Trujilo quando este assumiu como diretor de Redação e seguiu no posto com a saída dele. Marcelo ( mmoreirasp@hotmail.com ) chegou ao jornal em meados do ano passado para ser editor de Economia, a convite de Decio, com quem havia trabalhado no Jornal da Tarde; ele também teve passagens por Gazeta Mercantil, Folha de S.Paulo e Estadão. Milton era editor, foi promovido a editor-chefe numa das mudanças anteriores e posteriormente demitido; assumiu o mesmo cargo na Folha da Região (Araçatuba) e voltou a Rio Preto no Diário, mas como editor de Cidades.


Estadão

– Mudanças no caderno de Política do Estadão. Deixa a casa o editor Conrado Corsalette, que vai se dedicar a um novo projeto ainda não divulgado. Em sua segunda passagem pelo jornal, Conrado estava em Política desde 2012, tendo assumido a edição do caderno no ano seguinte. Antes, foi por oito anos repórter de Cidades e Política na Folha de S.Paulo e, entre 2000 e 2004, em sua primeira passagem pelo Estadão, também atuou como repórter dessas editorias. Para o lugar dele retorna ao jornal José Alberto Bombig, que desde junho de 2012 era editor de Brasil em Época.

 

ONU

– O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas aprovou em 27/5 resolução em que pede maior proteção para os jornalistas em zonas de conflito. Em nota, o vice-secretário-geral Jan Eliasson diz ter observado o aumento preocupante do número de jornalistas mortos desde 2006 e a tendência dos grupos terroristas e criminosos de usá-los como alvos ou ameaçá-los. De acordo com ele, 90% dos casos de crimes contra a categoria ficam impunes.

– “Os assassinatos recentes têm recebido ampla atenção em todo o mundo, incluindo a morte brutal de representantes da mídia ocidental na Síria. No entanto, não devemos esquecer que 95% dos assassinatos em conflitos armados envolvem profissionais locais, que recebem menos cobertura da mídia”, disse Eliasson, que também cobrou dos Estados maior compromisso na condenação de assassinos dos jornalistas em situações de conflito, organização de debates sobre sua proteção, incentivo a missões do Conselho de Segurança para averiguar as condições de trabalho dos profissionais de mídia e garantias de que a liberdade de expressão.

– Adotada por unanimidade, a resolução convoca os Estados a tomarem medidas adequadas que assegurem responsabilização dos atentados cometidos contra profissionais da mídia e equipe associada em situações de conflito armado. Outro destaque do documento está na necessidade de mais cooperação internacional neste domínio e o compromisso de recolher, no âmbito dos mandatos das missões de paz da ONU, informações sobre a violência contra a imprensa.

 

 

Terra

– Mais de duas dezenas de profissionais do Terra estarão envolvidos na cobertura da Copa América de futebol, de 11/6 a 4/7, no Chile. Na cobertura, um programa especial dedicado ao evento, mochilinks e correspondentes in loco acompanharão o torneio e o desempenho da seleção brasileira.

– O pontapé inicial foi dado em 1º/6 com cobertura de treinos, coletivas e bastidores da Seleção Brasileira na Granja Comary, em Teresópolis. Desde então, Fabio Salomão ancora, a partir das 12h, um diário com o giro dos repórteres junto à seleção brasileira e aos demais competidores.

– Os hermanos argentinos também serão espiados de perto pelo repórter Leandro Miranda, enquanto André Naddeo trará histórias curiosas sobre cultura, gastronomia e política do Chile.

– As partidas do torneio poderão ser acompanhadas minuto a minuto no Terra, com fotos e vídeos das partidas, bastidores e o movimento dos torcedores nos estádios.

 

 

Curtas

– A Imprensa Editorial lançou site especial que traz uma série de matérias, com pautas nacionais e internacionais, englobando pontos críticos da liberdade de imprensa e expressão. O ponto de partida foram os debates ocorridos durante o 7º Fórum Liberdade de Imprensa e Democracia, realizado no início de maio, em Brasília. Dentre os convidados que contribuíram para o debate, destaque para a ministra do STF Cármen Lúcia Antunes Rocha, Antônio Carlos de Almeida Castro (advogado), Edney G. Narchi (Conar) e Jaguar (cartunista).

– A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e o Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ) oferecem orientações conjuntas para os regulamentos de estágio supervisionado das escolas de Jornalismo. O documento – elaborado com o objetivo de contribuir com a adequação dos cursos da área às novas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs), que tornam obrigatório o estágio acadêmico supervisionado – aborda, entre outros tópicos, carga horária, fases de realização, termo de compromisso e convalidação.

Luiz Anversa ( anversa86@gmail.com) trocou o leiaute de seu blog Planeta Política, em que comenta sobre os principais assuntos das relações internacionais. Agora, o usuário encontra um espaço com mais cara de revista e integrado às redes sociais. Além disso, na capa, é possível ver os assuntos mais procurados pelos leitores. ‘Mas o blog ainda vai ter alguns ajustes’, diz Anversa.

A rádio Jovem Pan AM estreia na próxima estreia hoje  (8/6), a partir das 16h, o Radioatividade, programa com foco em jornalismo cidadão, reportagens especiais e discussões com o público pela internet. A atração irá ao ar de 2ª a 6ª.feira com duas horas de duração e para seu comando, ao lado do apresentador Thiago Uberreich, retorna à casa Madeleine Lacsko. Com passagens por STF, CCR e Alesp, ela esteve anteriormente por dez anos na própria Jovem Pan como repórter e apresentadora. Os dois profissionais chegaram inclusive a trabalhar juntos entre 2007 e 2008 apresentando quadros de política.

– Ex-repórter do Agora São Paulo, Léo Arcoverde criou o site Fiquem Sabendo, que reúne reportagens independentes baseadas em dados públicos sobre saúde, segurança, educação, mobilidade urbana, entre outros, obtidos por meio da Lei de Acesso a Informação. Léo iniciou o projeto em novembro de 2014, quando ainda atuava no jornal. Com financiamento próprio, o objetivo do site é trazer todos os dias uma estatística que ajuda a explicar o país.  O repórter também está disponível para dar minicursos gratuitos sobre o uso da Lei de Acesso para obter informações de interesse público, focados no público microrregional (de bairros) e de baixa renda da capital paulista.


Interior e Litoral

– O Museu Ettore Liberalesso (rua José Galvão, 104), em Salto, recebe até 29/8 a exposição Lugares da memória. resistência e repressão em São Paulo. A visitação é gratuita e fica aberta de 3ª.feira a domingo, das 9h às 17 horas. Mais informações pelo 11-4029-3473 ou museu@salto.sp.gov.br.

– Com a intervenção do Sindicato dos Jornalistas de SP, profissionais demitidos em março pela editora Alto Astral, de Bauru, receberão a título de indenização mais quatro a seis meses de vale-refeição. Em 13/5, a entidade, representada pelo secretário do Interior e Litoral José Eduardo Souza, pelo diretor regional de Bauru Ricardo Santana e pelo advogado Daniel Pestana, iniciou as negociações, mediadas pelo procurador do Trabalho em Bauru, e ao final ficou acertado que os demitidos com menos de nove anos de trabalho na empresa receberiam quatro meses de vale-refeição e os com mais de nove anos, seis meses. Os pagamentos começam a ser feitos este mês. 

 

Internacionais

– O Pulitzer Center on Crisis Reporting aceita propostas de projetos de jornalistas, escritores, fotógrafos, produtores de rádio, cineastas ou freelancers interessados em cobrir internacionalmente populações que aparecem pouco na mídia. O programa financiará os custos de viagens internacionais associados a projetos de reportagens, oferecendo valores de bolsas de viagem individuais que podem variar de acordo com o projeto e planejamento do orçamento detalhado. A maioria dos prêmios está na faixa de US$ 5.000 a US$ 15.000. O candidato deve provar que sua matéria será distribuída nos Estados Unidos ou Europa. As inscrições podem ser feitas durante todo o ano.


Prêmios

– Estão abertas as inscrições para a segunda edição do Prêmio ABP de Jornalismo. A iniciativa tem como objetivo reconhecer trabalhos com foco em doenças mentais, dependência química e psiquiatria. O vencedor de cada categoria (impresso, online, TV e rádio) receberá R$ 5 mil, que serão entregues em 4/11, durante a abertura do XXXIII Congresso Brasileiro de Psiquiatria, em Florianópolis. Confira mais informações.

– Abertas também as inscrições para o 3º Prêmio Abrapp de Jornalismo, inciativa que este ano dará R$ 15 mil para o melhor trabalho abrangendo o campo da previdência complementar fechada no Brasil publicado em jornal ou revista impressa. Poderão concorrer matérias veiculadas originalmente no período de 1º/9/2014 e 30/6/2015, mesma data em que se encerram as inscrições. Mais informações aqui.

– O Prêmio ExxonMobil de Jornalismo, nova denominação do Esso, abre suas inscrições, com prazo até 16 de julho. A premiação permanece inalterada, mantendo categorias, sistemas de aferição e a imparcialidade pelas quais é reconhecida como uma das mais prestigiadas do País. 

– Na edição em que chega aos 60 anos de existência ininterrupta, o certame vem com valores reajustados, totalizando R$ 123.200 mil brutos, assim divididos, por categoria: o prêmio principal, ExxonMobil de Jornalismo, concede R$ 33 mil; Telejornalismo, R$ 22 mil; Reportagem, R$ 11 mil; Fotografia, R$ 11 mil. As categorias Informação Econômica; Científica, Tecnológica ou Ambiental; Educação; Primeira Página; Criação Gráfica Jornal; e Criação Gráfica Revista recebem R$ 5,5 mil cada. As quatro regionais (Norte/Nordeste; Centro-Oeste; Sudeste; e Sul) fazem jus a R$ 3,3 mil cada.

 

Livro

Deus me disse que não existe (AgBook), romance teatral de José Paulo Lanyi, ancorou em Portugal. Ele está no catálogo da Bertrand Livreiros, rede fundada em Lisboa, em 1732, e no da Wook, maior livraria digital do país. O livro é uma narração com estrutura mista, delineada pelos elementos formais da prosa e do texto teatral. O leitor depara-se com duas obras: o romance, que começa na primeira letra e se encerra no ponto final da história; e o teatro, que se desenvolve apenas nos diálogos que compõem as cenas. Segundo Zé Paulo, seu desafio é harmonizar os dois gêneros, de forma que o enredo se sustente tanto nas mãos do leitor quanto no palco. No Brasil, a obra está disponível no site da Livraria Saraiva e, em no papel, na AgBook.

 

Com informações dos Jornalistas&Cia

veja também

relacionadas

mais lidas

Pular para o conteúdo