Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo
Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
Logo da Federação Internacional de Jornalistas
Logo da Central Única dos Trabalhadores
Logo da Federação Nacional de Jornalistas

Ribeirão Preto recebe novas sessões de filme sobre Dom Phillips e desafios da cobertura jornalística na Amazônia

Documentário realizado pela Repórter Brasil será exibido, em mais duas sessões comentadas, a primeira na quinta-feira, 16 de novembro, 19h, no novo Cine Clube Cauim
Redação

O documentário “Relatos de um correspondente da guerra na Amazônia” é uma homenagem a Dom Phillips, jornalista inglês assassinado em junho do ano passado em uma emboscada no Vale do Javari junto ao indigenista Bruno Pereira, mas também um mergulho nos desafios enfrentados pelos repórteres que cobrem a violência contra as comunidades indígenas na Amazônia, a maior floresta tropical do mundo. 

É isso que saltará aos olhos de quem assistir o novo documentário da Repórter Brasil. A produção parte da experiência do jornalista Daniel Camargos, que foi companheiro de reportagem de Dom, ao cobrir as buscas pelo amigo desaparecido. 

Após estrear com lotação máxima na Cinemateca, em São Paulo, na mostra Histórias da Amazônia, promovida pelo Pulitzer Center, o filme será exibido pela segunda vez, em Ribeirão Preto, no dia 16 de novembro, quinta-feira, às 19h, no novo Cine Clube Cauim (Rua Olavo Bilac, 135 – Vila Seixas), com a presença da editora da Repórter Brasil e diretora do documentário, Ana Aranha em sessão comentada. Essa exibição do documentário tem o apoio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo – Regional Ribeirão Preto. A terceira exibição será no Cine Cidadania, na Faculdade de Direito da USP de Ribeirão Preto, no dia 17 de novembro, às 10h.

De acordo com Daniel Camargos, diretor do documentário, o filme começa após o trabalho de convencimento frente aos questionamentos sobre os riscos. “O encontro com a morte do amigo, a busca por sentido para a profissão de repórter e a tentativa de dar continuidade ao trabalho do Dom, são passos que dou ao longo do documentário que tem um tom reflexivo”, descreve o jornalista. “Fazer esse documentário foi muito doloroso, sem dúvida. Mas também foi fundamental para encontrar o sentido de ser repórter”.

Com 1h de duração, “Relatos de um correspondente da guerra na Amazônia” é um filme de Ana Aranha e Daniel Camargos, com fotografia de Fernando Martinho e Caio Castor, montagem de Pedro Watanabe, e realização da Repórter Brasil.

Consórcio em homenagem ao Dom Phillips

O documentário integrou o trabalho feito por um consórcio de mais de 50 jornalistas espalhados por 10 países e representando 16 organizações, incluindo os ingleses The Guardian e The Bureau of Investigative Journalism, Expresso (Portugal), Le Monde (França), Ojo Público (Peru), Paper Trail Media (Alemanha), NRC (Holanda), Tamedia (Suíça), Der Standard (Áustria), além dos brasileiros Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Amazônia Real, Folha de São Paulo e TV Globo. 

Com coordenação da Forbidden Stories, esses veículos realizaram diversas publicações entre os dias 1 e 4 de junho, quando a morte de Dom e Bruno completou um ano. O objetivo é dar eco às investigações que Dom Phillips fez em vida e, de certa forma, continuar o seu trabalho. Assista ao trailer do  filme aqui.

Programação Cultural:

Após a exibição do documentário e conversa com a Diretora do filme, Ana Aranha, jornalistas e artistas de Ribeirão Preto irão realizar apresentações culturais.

José Fernando Chiavenato – Tv Thathi: Leitura de Poema

Érica Améndola – Tv Thathi: Leitura de Poema

Luci Pereira: Canta Rita Lee – Apresentação musical

João Augusto – Jornalista e Escritor: Leitura de Poesias

SERVIÇO

Documentário “Relatos de um correspondente da guerra na Amazônia”

Dia: 16 de novembro, às 19h

Local: Cine Clube Cauim – Rua Olavo Bilac, 135 – Vila Seixas

Entrada Gratuita

SOBRE A REPÓRTER BRASIL 

A Repórter Brasil é uma organização fundada em 2001 por jornalistas, cientistas sociais e educadores com o objetivo de fomentar a reflexão e ação sobre a violação aos direitos fundamentais dos povos e trabalhadores no Brasil. Suas reportagens, investigações jornalísticas, pesquisas e metodologias educacionais têm sido usadas por lideranças do poder público, setor empresarial e sociedade civil como instrumentos para combater a escravidão contemporânea, problema que afeta milhares de pessoas.

SOBRE A ANA ARANHA

Ana Aranha é repórter e documentarista, tem 14 prêmios de jornalismo. É responsável por investigações especiais na Repórter Brasil, onde coordenou o núcleo de jornalismo entre 2015 e 2019. Foi repórter especial da Agência Pública e repórter da revista Época. Já colaborou para diversos veículos, como The Guardian e El Mundo. Dirigiu o documentário “Slaves To Fashion”, da Al Jazeera, e assina produção executiva e roteiro do documentário “Jaci – Sete Pecados de Uma Obra Amazônica”, vencedor do prêmio Gabriel García Márquez de Jornalismo, recentemente dirigiu junto ao jornalista Daniel Camargos o documentário “Relatos de um correspondente da guerra na Amazônia”.

Foto: Divulgação

veja também

relacionadas

mais lidas

Pular para o conteúdo