Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo
Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
Logo da Federação Internacional de Jornalistas
Logo da Central Única dos Trabalhadores
Logo da Federação Nacional de Jornalistas

Movimentos farão dia nacional de lutas em 3 de outubro (sábado)

Movimentos farão dia nacional de lutas em 3 de outubro (sábado)


 

ato dia 03 de out

 

Na capital paulista, a atividade é organizada pelo Fórum dos Movimentos Sociais

 

Formada por movimentos sociais, populares, estudantis e centrais sindicais, a Frente Brasil Popular levará milhares de pessoas às ruas, em diferentes regiões do Brasil, no dia 3 de outubro (sábado), pautadas pelo Dia Nacional em Defesa da Democracia, da Petrobras e Contra o Ajuste Fiscal.

Em São Paulo, a atividade é organizada pelo Fórum dos Movimentos Sociais, articulação estadual que reúne mais de 50 entidades. Na capital, a concentração inicia às 14h, na Avenida Paulista nº 901, em frente ao prédio da Petrobras. Depois haverá caminhada pela Avenida Brigadeiro, até o Largo São Francisco, com encerramento na Praça da Sé. Também serão feitos atos e marchas pelo interior paulista ( saiba mais).

Neste 62° aniversário da Petrobras, os movimentos reforçam que o petróleo e o pré-sal são riquezas que devem servir para melhorar a vida da classe trabalhadora, como os royalties para a educação e a saúde que podem ajudar na melhoria das escolas públicas, no fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) e de outros programas sociais.

As organizações alertam para os interesses de parlamentares, de países e de empresas que querem se apoderar do pré-sal derrubando o modelo de partilha, que diz respeito à exploração de petróleo e do gás natural, como é o caso do Projeto de Lei nº131/2015, de autoria do senador José Serra (PSDB-SP), que alargaria a presença de  petrolíferas estrangeiras pra explorar a riqueza brasileira.

Às ruas do país, os movimentos reforçam também a defesa da democracia participativa e se colocam contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, proposto por setores conservadores e elitistas do Brasil que, segundo manifesto elaborado pelas entidades, deveriam cobrar, de fato, o combate à corrupção com reforma do sistema político e o fim do financiamento empresarial de campanha eleitoral.

Mas, em contrapartida, afirmam que são os ricos que devem pagar a conta. Em 2013, alguns milionários, donos ou sócios de grandes empresas, arrecadaram quase R$ 200 bilhões, mas não pagaram impostos. O Brasil é um dos poucos países do mundo que não tributa lucros e dividendos de acionistas.

Para as lideranças dos movimentos sociais, os custos do ajuste fiscal feito atualmente não podem ser debitados nas contas da classe trabalhadora. Eles apontam a taxação das grandes fortunas, das grandes heranças e o combate à sonegação para superar desigualdades sociais e a crise econômica.

Entenda – Lançada em 6/9, em Belo Horizonte (MG), a Frente Brasil Popular agrega centrais sindicais, movimentos sociais, populares do campo, da cidade e movimentos estudantis, com o objetivo de unificar os diversos movimentos em defesa dos direitos da classe trabalhadora. É organizada em todos os estados brasileiros. Em São Paulo, as ações são lideradas pelo Fórum dos Movimentos Sociais do Estado de São Paulo.

Clique aqui para ler o manifesto da Frente Brasil Popular.

Entenda os motivos que levarão os movimentos às ruas ( clique aqui)

 

Ato em São Paulo – Dia Nacional em Defesa da Democracia, da Petrobras e Contra o Ajuste Fiscal

Dia: 3 de outubro

Local/horário: Concentração na Avenida Paulista, nº 901, a partir das 14h

Caminhada: pela Avenida Brigadeiro, com encerramento na Praça da Sé.

Organização: Fórum dos Movimentos Sociais do Estado de São Paulo e Frente Brasil Popular.

 

Arte: Maria Dias-Secom-CUT/SP

Texto: Rosário Mendez e Vanessa Ramos CUT/SP

veja também

relacionadas

mais lidas

Pular para o conteúdo