Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo
Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
Logo da Federação Internacional de Jornalistas
Logo da Central Única dos Trabalhadores
Logo da Federação Nacional de Jornalistas

Conselheira da EBC relata perseguição para CNDH

Conselheira da EBC relata perseguição para CNDH

A perseguição política e o assédio moral que impregnaram a gestão da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) foram relatados pela representante dos funcionários no Conselho de Administração (Consad), a jornalista Kariane Costa, nesta sexta-feira (16) em reunião do Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH).

Na reunião, Kariane relatou o processo administrativo do qual é alvo, que concluiu pela demissão por justa causa da conselheira, após ela pedir, via Ouvidoria da EBC, a apuração de denúncias de assédio moral e perseguição por parte de gestores da empresa.

No decorrer do processo de sindicância aberto para apurar o caso, Kariane passou de denunciante a investigada por calúnia e difamação, sendo informada de tal mudança apenas em julho deste ano, no momento em que deveria apresentar sua defesa, num prazo de 10 dias, a um processo de quase mil páginas. Durante os dois depoimentos que prestou no processo, Kariane não foi informada que estava sendo investigada e falou como testemunha. 

No dia 9 de setembro, os trabalhadores da EBC nas praças de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro fizeram atos em defesa da conselheira e lembraram que o Tribunal Regional do Trabalho da 10° Região condenou a EBC em março a pagar uma multa de R$200 mil por assédio moral coletivo. A notícia da perseguição a Kariane foi divulgada em sites como Metrópoles, Sinait e Congresso em Foco. Ela também recebeu apoio, via Twitter, de políticos como as deputadas Sâmia Bomfim, Erika Kokay e Talíria Petrone, e os senadores Paulo Paim, Jean Paul Prates e Randolfe Rodrigues, além da pesquisadora Debora Diniz.

O senador Humberto Costa, como presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa, enviou ofício pedindo apuração do caso para o Procurador-Geral do Trabalho, José de Lima Ramos Pereira; o Defensor Público-Geral Federal, Daniel de Macedo Alves Pereira; e para o Subprocurador-Geral da República dos Direitos do Cidadão, Carlos Alberto Vilhena. Kariane também foi convidada a participar, na próxima semana, de Audiência Pública na Comissão do Trabalho, Administração e Serviço Público, da Câmara dos Deputados, sobre assédio moral no mundo do trabalho.

A perseguição da EBC é nítida. Mas Kariane Costa não está sozinha! A demissão infundada da jornalista é ilegal! Se for efetivada, teremos a prova de que na empresa de comunicação pública sob o governo Bolsonaro, perguntar ofende.

Comissão de Empregados da EBC

veja também

relacionadas

mais lidas

Skip to content