Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo
Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
Logo da Federação Internacional de Jornalistas
Logo da Central Única dos Trabalhadores
Logo da Federação Nacional de Jornalistas

Coluna Moagem ganha versão online

Coluna Moagem ganha versão online


A partir deste mês, a coluna Moagem editada pelo jornalista Eduardo Ribeiro, o Dudu, terá uma versão semanal online publicada no site do Sindicato. O objetivo é tornar a informação mais ágil e rápida. Há 23 anos esta sessão é publicada no jornal Unidade, órgão oficial do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP).Também será mantida uma versão impressa, porém mais enxuta e atualizada. 

Eduardo Ribeiro, o editor de Moagem, explica estas mudanças: “Foi um privilégio e uma honra muito grande pilotar o Moagem durante 23 anos ininterruptos em nosso Unidade. Seria incapaz de calcular quantas notinhas produzimos nesses anos todos e quantos nomes passaram mensalmente por esse nobre espaço. E também seria muito difícil medir o quanto ele ajudou pessoas que estavam procurando emprego e que viram oportunidades noticiadas no jornal; ou que conquistaram empregos por terem sido notícia, ao sair de alguma redação.

Mais difícil ainda é saber quantos reencontros ele proporcionou a pessoas que haviam perdido contato e que acabaram se reencontrando nas páginas do jornal. Mas a vida é assim, feita de ciclos. Com a decisão da diretoria do Sindicato de migrar o vaivém do mercado para o site da entidade, com vistas a dar mais agilidade às informações do mercado, e de reservar as páginas impressas que ele ocupava para assuntos que não fiquem velhos tão rapidamente, só posso agradecer por tantos anos de convívio e estima, à frente certamente de uma das mais longevas colunas da imprensa brasileira. E não poderia encerrar sem agradecer imensamente o maior responsável por essa aprazível aventura: José Hamilton Ribeiro, o inventor do Moagem, que tantas alegrias a mim deu pessoalmente e que foi de grande utilidade para os associados”.

 

Essa é a versão dessa semana do Moagem:

Laura Greenhalgh, que em maio de 2013 havia deixado a função de editora executiva do Estadão e passado a colunista (escrevia quinzenalmente para o Caderno 2) e repórter especial, reportando-se diretamente à editora-chefe Cida Damasco, saiu do jornal na semana passada, depois de dez anos na casa. Com especialização em criação de revistas na Stanford University (EUA), Laura começou nos anos 1970 como repórter da área de cultura do Jornal da Tarde. Editou e dirigiu revistas nas editoras Abril e Globo. Publicou, como colaboradora, em Playboy, Vogue, Marie Claire, Revista da Fapesp, entre outros títulos. Tem artigos publicados e reproduzidos na imprensa estrangeira. Por mais de cinco anos foi editora executiva de Época e passou por Veja. No Estadão, também criou e editou o caderno Aliás.

André Basbaum, editor-chefe do SBT Brasil desde 2012, deixou o posto para se dedicar a projetos especiais da emissora. A informação é do Comunique-se, que adianta ainda que o primeiro deles está relacionado às eleições deste ano. Antes do SBT, André foi editor-chefe na Record e na Globo. Mônica D’Alfonso, que já fazia parte da equipe do SBT Brasil, assume o comando do programa.

Após a Record comunicar a renovação do contrato de Celso Freitas, chegou a vez de Carla Cecato, que assinou permanência na emissora até 2017. Apresentadora do Fala Brasil, ela está na emissora desde 2005, quando foi contratada para apresentação e edição executiva do RJ Record. No ano seguinte, migrou para a Record de São Paulo como repórter especial.  Em seguida, comandou o Tudo a ver e o Jornal 24 horas. Carla também foi correspondente da emissora em Londres, em 2008.

Alessandra Taraborelli, ex-Broadcast, Investnews, Gazeta Mercantil e Jovem Pan, começou como repórter de Finanças no Brasil Econômico. Volta, assim, às redações após um período se dedicando a frilas e uma rápida passagem por assessoria de imprensa. Os novos contatos dela são ataraborelli@brasileconomico.com.br e 11-3320-2003.

 

Curtas-SP

O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo promove de 26/7 a 23/8, das 13h30 às 17h30, aos sábados, o curso Jornalismo e Marketing político – A preparação de candidatos e assessores, com Moisés Barel e Moacir Assunção. Inscrições até 21 de julho. Mais informações pelo F: 11 3217-6299

 

Assessorias-SP

– Neivia Justa assumiu em 16/6 a recém-criada Diretoria de Comunicação e Relações Públicas para América Latina da Goodyear Tire & Rubber Company. Formada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Ceará, com MBA em Varejo FIA/USP e especializações em Marketing pela ESPM e em Gestão de Negócios pela Fundação Getúlio Vargas, ambas de São Paulo, até recentemente ela atuava como gerente sênior de Comunicação da GE do Brasil, liderando os processos de comunicação, relações com a mídia e reputação de marca. Em mais de 20 anos de carreira, passou por Schincariol, Natura e Timex.

 André de Abreu, que respondia pela comunicação corporativa no Brasil da empresa de games Blizzard Entertainment, muda-se no final deste mês para Irvine, Califórnia, onde fica a sede da companhia, e a partir de agosto, no posto de gerente, passa a comandar a comunicação da empresa em toda a América Latina. Para o lugar dele no Brasil chega Anny Gomes ( angomes@blizzard.com e 11-3728-9229), vinda da Pfizer Hong Kong. Nos EUA, André atenderá pelos aabreu@blizzard.com e +1 (949) 955-1380 x14408.

Depois de quatro anos e meio como gerente de Comunicação da Monsanto, Geraldo Magella acaba de assumir a Gerência de Comunicação Corporativa da Fibria, maior produtora de celulose de eucalipto do mundo. Chega para cuidar da comunicação interna e externa da companhia, que conta com cerca de 15 profissionais distribuídos por São Paulo (sede), Jacareí (SP), Três Lagoas (MS) e Aracruz (ES), diversos veículos internos e externos, canais de mídias sociais etc.. Segundo ele, “o desafio é dar um salto de qualidade, fortalecendo a imagem e a reputação da empresa”. Geraldo ( geraldo.magella@fibria.com.br) diz também que suas experiências na Bovespa e na estruturação da MZ Media Relations “irá ajudar na parte da comunicação financeira, pois a Fíbria tem capital aberto e ações negociadas na BM&F Bovespa e ADRs na Bolsa de Valores de Nova York”.

Mary Zaidan deixa a agência Lu Fernandes Comunicação e Imprensa depois de dez anos como coordenadora de atendimento ao setor público e ainda não definiu os próximos passos profissionais. Com mais de 30 anos de carreira, atuou no Globo e no Estadão em Brasília, foi repórter da Agência Estado na capital paulista e, em 1995, após integrar a equipe da campanha de Mario Covas, assumiu a Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado de São Paulo, assessorando o governador até a morte dele. “Sou uma pessoa de sorte”, disse ela a J&Cia. “Vivi momentos únicos do País na cobertura diária da Constituinte e da primeira eleição presidencial pós-ditadura. Tive o privilégio de trabalhar com Mario Covas, político exemplar, a quem devo ensinamentos preciosos. E, depois, de ser parceira de Lu Fernandes, jornalista talentosíssima e uma pessoa extraordinária”. Mary (maryzaidan@me.com e twitter @maryzaidan) segue escrevendo artigos dominicais para o Blog do Noblat

 

Blogs e Portais

– O portal GGN, de Luís Nassif, lançou a seção Faça sua manchete, em que propõe ao leitor que redefina títulos de matérias publicadas em sites de notícias de acordo com o que efetivamente lhe chamar mais a atenção. “A manchete é a alma da notícia. Manchete fraca não chama a atenção, não comove, não induz o leitor a comprar o jornal ou acessar a notícia. Manchete, como se aprende em cursos de jornalismo, é o título principal, o que tem o maior destaque na primeira página de jornal ou revista. Mas aqui, neste espaço, manchete é todo e qualquer título de matéria que peça uma releitura, um senso crítico maior ou mesmo um maior apego à realidade do tema desenvolvido”, diz o texto que apresenta o novo espaço, que estreia com um texto de O Globo. Na nota, afirma-se que a equipe GGN separará, diariamente, matérias que pedem releitura de título, sublinhando trechos com aspectos não destacados pelo título. A manchete poderá ser em cima do próprio conteúdo da matéria – buscando a chamada que melhor se adeque ao conteúdo – ou então complementando a informação com dados de outras fontes.

– Com o título PM apreende ‘Marighella’ em protesto. Queimará livros, como os nazistas?, Mário Magalhães publicou em seu blog no último dia 2/7 texto em que protesta contra a “apreensão” de seu livro Marighella – O guerrilheiro que incendiou o mundo pela PM paulista com um manifestante, no centro de São Paulo, e contra a pressa de Veja SP em “denunciar” (e posteriormente apagar) o ocorrido no twitter. “Por que exibiram a biografia como ‘troféu de guerra’?”, pergunta ele no texto. E lembra: “Não está em questão se o livro é bom, ruim ou mais ou menos – cada leitor tem sua opinião, legítima. Ou se o personagem vale ou não uma missa. Mas, sim, o direito à difusão de conhecimento histórico, bem como a liberdade de expressão e o acesso à informação. Estamos em 2014, mas às vezes não parece”.

– As gêmeas jornalistas Fabiana Fontainha e Mariana Branco comemoram um ano do blog Mamãe Prática (www.mamaepratica.com.br), direcionado a gestantes e mães de crianças pequenas. O blog tem novos leiaute, categorias e recursos. Contatos pelo redacao@mamaepratica.com.br.


Prêmios

– O Instituto dos Auditores Independentes do Brasil (Ibracon) abriu inscrições para os prêmios Transparência de Jornalismo e Transparência Universitário. Para concorrer, tanto as reportagens como os trabalhos acadêmicos devem destacar a importância das normas internacionais de contabilidade e auditoria para o Brasil. Do Prêmio de Jornalismo podem participar autores de reportagens publicadas em mídia impressa ou online no período de 31/10/2013 a 15/11/2014. Já para o Prêmio Universitário, estão aptos estudantes de Ciências Contábeis vinculados a uma Instituição de Ensino Superior na data limite da inscrição do prêmio. O vencedor de cada um ganhará uma viagem a Londres, com cinco dias de duração, com todas as despesas pagas, além de visita à sede do International Accounting Standards Board (IASB). Inscrições até 21/11 pelo www.ibracon.com.br/premiojornalismo ou www.ibracon.com.br/premiouniversitario.

 

Livros

– A Biblioteca Municipal Mário de Andrade, de São Paulo, lançou na 2ª.feira passada (7/7) o primeiro livro com o selo Biblioteca Mário de Andrade Edições, iniciativa que busca tornar mais acessível o seu catálogo de obras raras. A organização do livro de estreia – Primeiros passes – Documentos para a história do futebol em São Paulo (1897-1918) – é de Wilson Gambeta, com textos de Hans NobilingLuiz FonsecaAntonio FigueiredoMario Cardim. Ele reúne, em formato fac-símile, quatro obras históricas, esgotadas há décadas, que abordam o futebol paulista do início do século XX.

– A primeira, Primórdios de dados históricos da implantação do futebol em São Paulo, publicada originalmente em 1937, é o relato memorialístico do imigrante alemão Hans Nobiling, em um texto curto e esclarecedor sobre os anos iniciais do futebol em São Paulo, até 1900. Ao lado de outros nomes importantes da história do futebol nacional, como Charles Miller, Arthur Ravache e Armando Prado, Nobiling também foi um grande articulador de clubes, times e campeonatos.

– O segundo documento, Guia de football, de 1906, de Mario Cardim e Luiz Fonseca, relata como o esporte se transformou em espetáculo para o público, e como se percebia o entusiasmo dos torcedores. Dirigido especialmente a fãs, reúne informações básicas para quem quer acompanhar um torneio: regras do jogo, regulamentos de campeonatos e principais jogadas.

O resumo histórico do Club Athlético é um folheto institucional em comemoração à inauguração da nova sede do clube de mesmo nome, no bairro do Jardim América, em 1917 – uma narrativa histórica inspirada em crônicas esportivas. É um relato de partidas e campeonatos, vitórias e derrotas que marcaram a história daquela agremiação.

– A obra que encerra a seleção, História do football em São Paulo, publicada em 1918 pelo jornalista Antonio Figueiredo, foi a que primeiro abordou esse tema. É uma crônica esportiva nas fronteiras entre jornalismo, historiografia e ficção literária.

– O projeto Ofício da Palavra, que promove mensalmente no Museu de Artes e Ofícios de Belo Horizonte um encontro aberto e gratuito do autor com público, lança um livro reunindo depoimentos de 11 autores que já palestraram durante o projeto, contanto, entre outras coisas, sobre o que os motiva a escrever e o processo de criação literária. Organizado por José Eduardo Gonçalves, Ofício da palavra será publicado pela Autêntica Editora Participam do livro os contistas, romancistas, poetas e ensaístas Luiz Ruffato, Milton Hatoum, Ferreira Gullar, Cristovão Tezza, Bernardo Carvalho, Silviano Santiago, Ignácio de Loyola Brandão, Daniel Galera, Maria Esther Maciel, Carola Saavedra e Gonçalo M. Tavares.

– A Editora Europa publica a sexta edição do livro O melhor do fotojornalismo brasileiro, sob o patrocínio da Nikon. A obra traz imagens marcantes, veiculadas na mídia, relatando momentos históricos brasileiros em 2013, como os protestos de junho e os grandes eventos esportivos e religiosos. São 200 páginas e imagens captadas por 97 fotógrafos de veículos de comunicação de todas as regiões do País, sob a curadoria da equipe da revista Fotografe Melhor.

– Outro livro recém-lançado é Par perfeito, de Eleanor Prescott, ex-assessora de imprensa da MTV inglesa. Na obra, de ficção, a autora relata o cotidiano nas assessorias, e a protagonista personifica tantos profissionais do ramo no Brasil: assessora de imprensa criativa, workaholic, com rotina de eventos e inúmeras demandas a cumprir em prazos apertados. Com leveza e inteligência, o livro aborda questões como a procura do verdadeiro amor em meio a facilidades tecnológicas, prazeres acessíveis e descartáveis, e a necessidade de se firmar no campo profissional.

Campanhas presidenciais, mídia e eleições na América Latina (Medianiz) é o novo livro da jornalista e doutora em Ciência Política Katia Saisi. A obra aborda os princípios que norteiam discursos dos candidatos e da cobertura jornalística, avaliando também a ascensão de novas formas de comunicação dos candidatos (mídias alternativas, desde rádio e tevês comunitárias, celulares e redes sociais).

 

Lançamento

– A Dezoito Comunicação é a agência responsável pela primeira edição da revista Vem Viver, da Central Nacional Unimed. Na matéria de capa, a revista mostra como aproveitar a época mais fria do ano para refletir e adotar novas posturas na vida. Há também uma entrevista com o atleta paraolímpico Fernando Fernandes sobre como adaptar os esportes de neve à realidade brasileira e um panorama sobre a saúde suplementar no País. Estão na equipe de produção da revista a diretora Cléia Barros, Simone Tavares (editora-chefe e jornalista responsável), Camila Chevitarese (subeditora), Thayna Santos (repórter), Gilvan Felisberto e Vinicius Neves (direção de Arte), Lucas Ferreira (assistente de Arte), Dayandra Hernandes (atendimento), Tania Roiphe (revisão) e Alexandre F. Costa (finalização). Para assinar gratuitamente o periódico, acessar www.centralunimed.com.br/vemviver.

 

Extraído do Jornalistas&Cia



veja também

relacionadas

mais lidas

Pular para o conteúdo