Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo
Logo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
Logo da Federação Internacional de Jornalistas
Logo da Central Única dos Trabalhadores
Logo da Federação Nacional de Jornalistas

Vai e Vem do Mercado (Moagem) – 13/07 a 20/07

Vai e Vem do Mercado (Moagem) - 13/07 a 20/07


trocatroca

 

Leia na edição desta semana do Vai e Vem: Portal R7 dispensa 15 profissionais; Jornal A Tribuna, de Santos demite 30 trabalhadores; Revista Época faz mudanças nas redações; Eleições no Sindicato acontecem de 18 a 20 de agosto; Jamil Chade e Fábio Barretto estreiam na RedeTV e Erika Palomino acerta com a TV Gazeta.



R7  

– o R7 dispensou 15 profissionais da Redação no último dia 4 de julho. Segundo Antonio Guerreiro, diretor geral de Novas Mídias da Rede Record, a medida foi necessária “por causa da criação da central de redação com perfil multimídia, focada na produção multiplataforma, transmídia e com forte presença nas redes sociais e na área de vídeos. Trata-se de uma readequação do perfil profissional a esse novo modelo. Reforço apenas que a área de conteúdo do portal segue firme com 141 profissionais atuantes na redação e arte”.

– O portal promove desde o final do ano passado dispensas com o objetivo de eliminar barreiras impostas pela existência das editorias fixas.

– Os nomes de 13 dos dispensados: a chefe de Reportagem Edna Dantas, a repórter fotográfica Daia Oliver, a revisora Fabiana Lima, o webdesigner Guilherme Batista, além dos jornalistas Ana Claudia Barros, Érika Midori Omori, Francine Constanti, Juliana Zorzato, Maria Carolina de Ré, Miguel Arcanjo Prado, Patrícia Gebara, Sylvia Palma e Vanessa Beltrão.


A Tribuna

–  A Tribuna, de Santos, demitiu 30 trabalhadores, entre eles sete jornalistas, dois dos quais dirigentes do Sindicato dos Jornalistas : Glauco Braga, coordenador da regional em Santos, e Reynaldo Salgado, dirigente de base. O secretário do Interior do Sindicato, José Eduardo, informou ter procurado o diretor de RH do jornal e obteve como resposta que as demissões fazem parte da reestruturação da empresa.


Revista Época

– Mudanças no início de julho na revista Época. Deixaram a revista na semana passada, o editor executivo Ivan Martins ( ivanhmartins@gmail.com), que também mantinha uma coluna semanal, e os repórteres especiais Leopoldo Mateus e Leonel Rocha. Ivan, que ali estava desde maio de 2008, prepara-se para um novo ciclo profissional. “Preciso de novidades”, disse ele. Em verdade, ele tem convite para continuar com a coluna no site e também a que escreve para a GQ, mas depende de acertos burocráticos internos, o que pode demorar algumas semanas.

­- Murilo Ramos, da sucursal de Brasília, muda-se para São Paulo e será o titular da coluna Expresso, pela qual respondia interinamente desde maio, quando da saída de Felipe Patury. Para o lugar de Leonel no apoio à coluna, a revista contratou Ricardo Della Colletta, em Brasília.

– Além de João Luiz Vieira, efetivado como editor de Vida após um período cobrindo licença-maternidade, foi contratado Ruan de Souza Gabriel, que era estagiário, para reforçar a área de Cultura — Mente Aberta.

Isabel Clemente, que chefiava Época no Rio, deixou a casa. Suas funções foram redistribuídas e a diretora da sucursal Cristina Grillo responde pelo cargo. Na revista há 12 anos, Isabel foi, antes disso, editora-assistente no Jornal do Brasil, repórter e correspondente em Londres da Folha de S.Paulo, especializada em petróleo e energia.

– A nova contratação da unidade carioca é a repórter Samantha Lima. Ela vem da sucursal da Folha de S.Paulo, onde cobria principalmente petróleo e gás, em sua segunda passagem pelo jornal.

 

Sindicato

– Serão realizadas nos dias 18, 19 e 20/8, seguindo as regras previstas em estatuto, as eleições para a diretoria do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, anuladas em março passado por decisão judicial. Segundo o edital de convocação, o prazo para registro de chapas vai até 16/7, na Secretaria do Sindicato (rua Rego Freitas, 530, sobreloja), das 9h às 18 horas. O prazo para impugnação de candidaturas será de três dias a contar da publicação da relação das chapas registradas. O edital também foi publicado no Diário Oficial do Estado.


Folha de S.Paulo

– A Folha de S.Paulo conta desde 1º/7 com uma nova editoria, de Audiência e Dados, cujas atribuições são fomentar a audiência, centralizar métricas e incentivar seu uso por toda a redação, cuidar da interlocução com os leitores, e auxiliar a redação nos trabalhos com dados. Ela agrega também o atual núcleo de Mídias Sociais, parte do que hoje forma o Painel do Leitor. Marcelo Soares, até então do núcleo de Novas Plataformas, foi destacado para cuidar especificamente do trabalho com jornalismo de dados, respondendo a Roberto Dias, secretário-assistente de Redação para o Digital.


Aos fatos

Tai Nalon ( tainalon@aosfatos.org), ex-Folha de S.Paulo, Veja e TV Globo, e Rômulo Collopy ( romulocollopy@aosfatos.org), comunicador, programador e desenvolvedor, estudioso de big data e especialista na linguagem de programação Python, uniram-se para criar um projeto de jornalismo independente cujos objetivos o próprio nome já explicita: Aos fatos. Segundo Tai, é essencialmente uma plataforma de jornalismo político para verificação do discurso público: “Não queremos inventar a roda. Bebemos na fonte de iniciativas bem-sucedidas na Argentina, com o Chequeado, no Chile, com o Del dicho al echo, e nos Estados Unidos, com o Politifact – este último, aliás, vencedor do Pulitzer em 2008. Acreditamos que o jornalismo diário carece de uma abordagem analítica baseada em fatos, e não apenas em opiniões. Percebemos que a cobertura feita pela imprensa tradicional, de que somos entusiastas, e não inimigos, carece de dados, mas exagera em versões. Pretendemos acrescentar consistência ao debate, de modo a combater o estelionato intelectual, particular destes tempos. Nossa obsessão é desvendar o que há de verdadeiro e mentiroso em declarações que muitas vezes servem mais a interesses pessoais do que aos eleitores”.


Editora Globo

–  Após 17 anos ocupando o antigo prédio da Cooperativa Agrícola de Cotia, no bairro paulistano do Jaguaré, a Editora Globo ganhará ares mais centrais a partir de agosto, quando inicia a transferência de suas equipes e instalações para dois novos endereços: av. 9 de Julho, 5.229, no Itaim, para onde vão todas as redações, mais Globo Livros, Mercado Leitor, Mercado Assinante, Operações, Tecnologia e Administração/Financeiro como um todo; e rua Formosa, 75, no Centro, que receberá as equipes do Ativo de Vendas e Renovação.

– Vale frisar que a empresa tem ainda um contingente de 80 pessoas na zona norte de São Paulo, em Santana, que respondem pela área de Atendimento ao Leitor, outras 34 na sucursal Rio e mais 16 em Brasília.

 

RedeTV

Jamil Chade, correspondente do Estadão em Genebra (Suíça), e Fábio Barretto, ex-TV Record e Band Rio, acertaram com a RedeTV. Somam-se a profissionais como Celso Zucatelli, Débora Vilalba, Luciano Faccioli, Mariana Godoy e Mauro Tagliaferri, que chegaram à emissora nos últimos meses.

– Jamil estreou em 1º/7 como comentarista de assuntos internacionais. Em sua página no facebook, comentou: “Além do Estadão e da Rádio Estadão, a partir de hoje [1º/7] assumo a tarefa de comentarista internacional na RedeTV. Serão duas participações semanais no jornal RedeTV News, a partir das 10 pm. Conto com o comentário, críticas, cornetas e sugestões de todos vocês. Até lá!”.

– Fábio Barretto passa a integrar o Núcleo de Reportagens Investigativas, que Vacek criou em outubro do ano passado. Em nota, a RedeTV informou que “o profissional chega para intensificar a produção de grandes reportagens sobre os mais variados temas, como criminalidade, política, meio ambiente, saúde e educação”.


TV Gazeta

– A TV Gazeta anunciou um reforço de peso para “modernização de seu figurino”. A jornalista e consultora de moda Erika Palomino é a nova contratada da emissora paulista para o segundo semestre deste ano. Ela será responsável pela repaginação do figurino dos apresentadores e jornalistas da casa. “Estamos motivados com a chegada da Erika, que tem larga experiência na área, e vai nos ajudar a incorporar tendências contemporâneas da moda no visual do elenco da emissora”, disse em nota a superintendente de programação Marinês Rodrigues.


Curtas

– Dedicado aos universos automotivo e esportivo, duas de suas grandes paixões, o site de Claudio Carsughi, que desde fevereiro já estava hospedado no UOL, passa a integrar as plataformas doa canais UOL Carros e UOL Esporte (Futebol e F1). A mudança permite que as notícias publicadas na página sejam também aproveitadas individualmente em cada canal, aumentando assim a audiência do site.

– O 7º Prêmio CBN de Jornalismo Universitário, que está com inscrições abertas até 31/7, traz como tema Mais tolerância, menos conflitos, com a finalidade de reconhecer matérias que mostrem conflitos solucionados pacificamente. Os três melhores trabalhos terão o material veiculado na CBN e receberão certificados. Já o primeiro colocado (ou primeiros colocados, no caso de reportagem em grupo) receberá também troféu, iPad e ainda visitará a rádio em São Paulo, com as despesas de passagem e hospedagem pagas.


Livros

Golpe de Estado – é a mais recente obra de Palmério Dória e Mylton Severiano da Silva, o Myltainho (que morreu em maio de 2014), também autores dos best-sellers Honoráveis bandidos e O príncipe da privataria, todos publicados pela Geração Editorial.

– Ao relembrar como uma elite financeira, industrial e agrária conservadora levou a classe média à histeria no início dos anos 1960, preparando o terreno para o golpe militar de 1964, o livro lança luzes sobre os dias de hoje, quando jornais, rádios e tevês clamam aos céus contra a “corrupção”, levando com eles os que desfilam nas ruas e batem panelas de suas varandas.

– “A corrupção – ressalta em nota o editor Luiz Fernando Emediato – foi sempre a palavra de ordem dos golpistas nos anos 1950 (para derrubar o governo eleito de Getúlio Vargas, que se matou) e, aliada à ameaça comunista, também nos anos 1960, para seduzir os militares fiéis aos norte-americanos. A palavra voltou agora, quando se pretende destruir um partido, o PT”. Mas, cauteloso, acrescenta: “Claro que nenhum de nós, cidadãos honestos, pode aceitar a corrupção. No entanto, quando as denúncias vêm daqueles que sempre a praticaram, aí é bom desconfiar”.

– Palmério e Myltainho recuperam histórias da época, de muitas das quais eles mesmos participaram, como agentes ou testemunhas, algumas pouco conhecidas. Pesquisaram os fatos e entrevistaram outros jornalistas, políticos e personalidades que, assim como eles, viveram os fatos e sofreram as suas consequências.

A ditadura militar e a longa noite dos generais: 1970 – 1985 – A partir de relatos sobre sua experiência como jornalista, Carlos Chagas narra os últimos 15 anos do regime militar brasileiro. As dificuldades impostas pela censura, a perseguição a opositores, as disputas dentro da cúpula da ditadura e a prometida e lenta transição para um estado de direito são alguns dos fatos tratados em A ditadura militar e a longa noite dos generais: 1970 – 1985, que encerra seu trabalho sobre o regime dos militares no Brasil.

 

Com informações dos Jornalistas&Cia

veja também

relacionadas

mais lidas

Pular para o conteúdo