Trabalhadores da EBC mantêm estado de greve e se dirigem a sociedade através carta aberta

Em assembleia realizada na noite de quinta-feira (11), os trabalhadores da EBC decidiram manter o estado de greve em resposta às tentativas, por parte da empresa, da retirada de direitos historicamente conquistados no acordo coletivo. 

Desde dezembro os empregados da EBC se mantêm em estado de greve. Foi aprovado ainda uma carta aberta a sociedade brasileira, expondo o aparelhamento da EBC pelo projeto político do presidente Bolsonaro, que vem descaracterizando a estatal de sua função pública, garantida pela Constituição Federal.

Após a ausência da empresa na mesa de negociação, os sindicatos voltaram ao TST na busca por mediação ao impasse que se arrasta desde agosto, data da entrega da pauta de reivindicações. A empresa destacou 15 cláusulas, não cedendo em nenhuma proposta apresentada pelas entidades. 

A EBC propõe um arrocho salarial para as categorias, com proposta de reajuste zero nos salários e benefícios.  Além disso, a empresa ainda deseja acabar com as promoções nas carreiras dos empregados, impor um banco de horas ilegal, suspender o quinquênio e com a obrigação de fornecer vestuários aos trabalhadores. 

Neste semana, os sindicatos entregaram ao TST um documento justificando a manutenção dos direitos dos trabalhadores. Ainda não há data definida para a apreciação e resposta por parte da mediação do tribunal, feita pelo vice-presidente, o ministro Vieira de Mello Filho. 

Mobilização 

As entidades esperam chamar uma nova assembleia para o final do mês de fevereiro, já com uma perspectiva sobre a resposta do tribunal. Até lá, é importante que os trabalhadores da EBC se mantenham mobilizados e preparados para uma eventual paralisação, contra a política de arrocho salarial e retirada de direitos implementadas pelo governo.                                                                                       

Carta à sociedade

Os trabalhadores ainda aprovaram uma carta aberta a sociedade brasileira em defesa do caráter público da EBC e contra as violações cometidas pela atual diretoria da empresa. A carta foi aprovada por unanimidade na assembleia. Para ler a carta na íntegra, clique aqui.