Sindicato lamenta falecimento do jornalista sindicalizado Humberto Kinjô

Com pesar, o Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP) informa o falecimento do jornalista sindicalizado Humberto Kinjô, aos 79 anos, neste domingo, dia 15 de maio.

Sindicalizado desde 1966, Kinjô foi preso pela ditadura militar em 1968. Sua prisão causou protesto entre colegas que, ao sair pelas ruas centrais de São Paulo, foram dispersados pela polícia com golpes de cassetetes e tiros de festim para o alto.

Kinjô foi ainda exilado político, passando a viver no Chile e na Colômbia. Estava no Chile quando se instaurou a ditadura chilena, conseguindo se refugir na embaixada de Honduras após enganar o guarda sobre uma camisa de Roberto Rivellino, jogador da seleção brasileira do qual o guarda era admirador.

O velório ocorrerá no crematório da Vila Alpina das 9h às 12h desta segunda-feira (16).

O SJSP externa sua tristeza e estende o pesar aos familiares e amigos do jornalista.

Atualização: A missa de sétimo dia será realizada no próximo dia 21 de maio, ás 17h, na paróquia São João de Brito (R Nebraska, 868 - Brooklin Novo). A missa é presencial e também será transmitida pelo Facebook (paróquia São João de Brito) e pelo YouTube, no canal "Vicente G Santos".