Sindicato debate representação e representatividade negra no jornalismo

Por Redação - Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

Enfrentar a ausência de diversidade racial nas redações e nas manchetes é um desafio para a categoria dos jornalistas. Por isso, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJSP), por meio da Comissão de Jornalista pela Igualdade Racial (Cojira), abre espaço para uma reflexão sobre representatividade e representação das pessoas negras no jornalismo.

Nesta quarta-feira (24), às 19h30, o SJSP e a Cojira realizam a mesa-redonda "Negritude no Jornalismo - 20 anos de histórias contadas e não contadas". Os participantes farão uma avaliação, a partir de experiências pessoais, estudos acadêmicos e vivência militante sobre como negras e negros estão presentes e ausentes no jornalismo brasileiro. O que mudou nas duas últimas décadas? E o que não mudou? 

O evento online é também uma forma de marcar o aniversário de 20 anos de criação da Cojira-SP.

A transmissão será feita pelo canal do SJSP no YouTube e pela página do sindicato no Facebook.

Participam da mesa-redonda:

Claudia Nonato - Jornalista formada pela Cásper Líbero, mestre e doutora pela ECA/USP, onde atualmente está fazendo estágio de pós-doutorado como bolsista do CNPq. Na ECA/USP atua também como pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho, Editora Executiva da Revista Comunicação e Educação e professora nos cursos de pós-graduação do CELACC (Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação).

Flávio Carrança - Jornalista com passagem por diversas redações de jornal, rádio e TV, e integrante da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial – Cojira SP. É coautor de Espelho Infiel: o negro no jornalismo brasileiro, coletânea organizada em parceria com Rosane da Silva Borges e publicada em 2004 pelo Imprensa Oficial do Estado de São Paulo - IMESP.

Thais Folego - Jornalista feminista e antirracista. É membra da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial de São Paulo (Cojira-SP) e militante do movimento de mulheres negras de São Paulo. Hoje é diretora de operações e tecnologia da Revista AzMina e conselheira suplente da Ajor (Associação de Jornalismo Digital). É jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero, com MBA em informações econômico-financeiras.

Oswaldo Faustino - Jornalista, atuou por 40 anos nos principais veículos de comunicação paulistanos e colaborou por 20 anos com a revista Raça Brasil. Escritor, com 12 livros publicados, militante negro, desde os anos 70, e co-fundador da Cojira-SP.