Problemas trabalhistas em afiliada da Globo viram caso de polícia

 
Em maio passado, a direção do Sindicato se reuniu com a diretoria da TV Diário de Mogi, afiliada da Rede Globo, para cobrar solução de problemas como assédio moral...

tv diario mogi

 

Em maio passado, a direção do Sindicato se reuniu com a diretoria da TV Diário de Mogi, afiliada da Rede Globo, para cobrar solução de problemas como assédio moral, acúmulo de função, entre outras questões, que foram denunciados ao Sindicato. Na ocasião, a reunião foi feita com os gerentes administrativos e financeiros Morinobo Gilberto Izu, Cícero Tenório e Gerson Rosa Lima. Todos afirmaram desconhecer a prática de assédio moral no local de trabalho, mas se dispuseram a verificar e corrigir o problema. Não só não resolveram como, desde aquele dia, sequer permitiram que o Sindicato tivesse acesso à redação para conversar com os jornalistas.

Diante do agravamento da situação, o Sindicato recebeu novas denúncias sobre as irregularidades trabalhistas na TV Diário de Mogi que estão sendo até investigadas pela Polícia Civil. O inquérito policial traz denúncias como acúmulo de função de funcionários, atraso no depósito do FGTS (Fundo de Garantia), falta de equipamento de proteção, trabalhadores expostos a riscos, estagiários obrigados a cumprir carga horária além do que é regido pela CLT e assédio moral praticado pelos editores, chefia de pauta e pelo gerente de jornalismo.

O Sindicato recebeu informação de que desde o inicio de agosto repórteres, cinegrafistas e funcionários do setor de Engenharia estão sendo convocados para prestar esclarecimentos no 3º DP de Cesar de Souza, que investiga o caso. Na tarde desta quarta-feira (dia 15), o dirigente do Sindicato, José Eduardo de Souza, que acompanha as redações da Grande São Paulo e o advogado da entidade,  André Pereira dos Santos, estiveram na delegacia para acompanhar o depoimento de mais dois trabalhadores, que acabou sendo adiado. O escrivão afirmou que faltam ainda ser ouvidos cerca de quatro testemunhas e que o inquérito se encontra no Fórum. O papel da polícia é de colher­ os depoimentos para orientar o processo.

Os representantes do Sindicato obtiveram informação de que até o momento apenas um trabalhador prestou depoimento. De acordo com José Eduardo, a situação é muito grave e o Departamento Jurídico do Sindicato vai acompanhar os trabalhadores nos depoimentos. “Outra ação que vamos encaminhar ainda essa semana é denúncia no Ministério Público do Trabalho contra a empresa por prática antisindical, além das denúncias já citadas”, destacou ele.