Presidente da Câmara de Araraquara impede trabalho de jornalista e ataca liberdade de imprensa

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) assinam a nota de repúdio encaminhada pelo Sindicato...

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) assinam a nota de repúdio encaminhada pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região (Sismar) contra a atitude do presidente da Câmara Municipal de Araraquara, João Farias (PRB), que, na sessão do último dia 22 de janeiro, proibiu o trabalho de jornalista profissional, em flagrante ato de perseguição pessoal, prática de censura e ataque à liberdade de imprensa. 

Leia a íntegra da nota:

"O jornalista Raphael Pena, profissional devidamente registrado nos órgãos competentes, foi impedido pelo presidente da Casa de entrar no recinto reservado aos vereadores para poder realizar seu trabalho, sendo que o acesso ao mesmo local foi permitido aos fotógrafos dos demais meios de comunicação.

Discriminar por questões de pessoalidade e fazer retaliações no exercício da função pública é inaceitável em nosso Estado Democrático de Direito. O acesso e a divulgação da informação garantem o sistema democrático, são direitos do cidadão, e o cerceamento de ambos constitui violação dos direitos humanos.

Mesmo considerando a entrevista concedida por Farias quando de sua eleição para presidir a Câmara pelo próximo biênio, na qual ele diz diretamente que irá “endurecer” com om movimentos sociais e sindicais, a atitude arbitrária de barrar o jornalista é uma afronta à liberdade de imprensa e não será tolerada.Todas as medidas cabíveis serão tomadas para que este tipo de perseguição não volte a ocorrer." 

Entenda o histórico 

Raphael Cruz Pena é jornalista e trabalha como assessor de imprensa no Sindicato dos Servidores Municipais de Araraquara e Região (Sismar). A entidade tem um jornal bimestral dirigido a toda a categoria. 

Na sessão da Câmara realizada no último dia 21, ele foi impedido de acessar o plenário, local onde os fotógrafos de outras mídias estavam trabalhando.  Para o SJSP, Pena disse que "“a informação oficial, porém verbal, foi de que apenas a imprensa 'oficial', termo depois trocado por 'comercial', poderia entrar ali e que, pelo regimento interno, esta decisão cabe única e exclusivamente ao presidente da Casa"”. 

Diante do ato arbitrário que atenta contra o exercício profissional e a liberdade de imprensa, o SJSP está em contato com o jornalista e tomará todas as providências cabíveis para garantir também seu direito ao trabalho.