Patrões de rádio e TV rejeitam reivindicação dos jornalistas, mas não oferecem nova proposta

Por Redação - SJSP

Após a realização de uma grande assembleia no último dia 24 de março, que rejeitou a proposta patronal de maneira avassaladora, a categoria enviou uma mensagem às emissoras de rádio e TV com uma nova reivindicação para a reposição dos salários pela inflação, de 10,96%:

- 1ª parcela do reajuste, de 5,5%, em abril, com abono de 43,84%

- 2ª parcela do reajuste, de 5,18%, em agosto, com abono de 20,72%

- Cláusula de PLR: empresas com mais de 10 jornalistas devem procurar o SJSP para negociar a PLR em um prazo de dois meses após o fechamento da CCT. Em caso de não abrirem negociação, penalidade de um salário nominal.

Na última sexta-feira (01 de abril), os patrões enviaram uma resposta ao Sindicato dos Jornalistas, informando que a proposta da categoria foi rejeitada pelas empresas. 

Entretanto, os representantes das emissoras não ofereceram nova proposta ou sequer indicaram uma nova mesa de negociação. Assim, o nosso Sindicato enviará nova mensagem às empresas solicitando uma reunião para os próximos dias.

Diante deste cenário, é essencial que todas e todos os jornalista permaneçam unidos e aumentem a pressão sobre os patrões. A mobilização é a chave para que novas negociações ocorram e as empresas melhorem significativamente sua proposta para esta campanha salarial.