Não às demissões de dirigentes sindicais por parte da Prodesp

Empresa dispensou dois diretores do Sindicato dos Gráficos, desrespeitando a estabilidade no emprego de que gozam

Por Redação - Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

A Companhia de Processamento de Dados de São Paulo (Prodesp), que incorporou a Imprensa Oficial do Estado (Imesp), demitiu no dia 1º de outubro dois diretores do Sindicato dos Gráficos: Osmar Batista de Souza e Paulo Cesar Xavier. Protestamos contra mais essa atitude antissindical e ilegal da empresa, que não pode desrespeitar a estabilidade dos dirigentes sindicais, eleitos por sua categoria para integrar a diretoria do sindicato.

A partir de junho, foram demitidos mais de duzentos trabalhadores e trabalhadoras, além de ter sido fechada a gráfica, numa verdadeira liquidação de um patrimônio público do Estado de São Paulo. Outros 223 funcionários já haviam saído, no Programa de Desligamento Incentivado (PDI) entre 2019 e 2020.

A Lei 17.056/19, aprovada pela Assembleia Legislativa, determinava a incorporação da Imprensa Oficial por parte da Prodesp, mas de fato o que ocorre atualmente é a extinção das atividades da empresa, após o sucateamento promovido pelos governos estaduais nas últimas décadas. Para se ter uma ideia, o último concurso público foi realizado há mais de dez anos.

Defendemos a manutenção do trabalho de edição do Diário Oficial, por parte dos jornalistas, assim como a existência de uma gráfica do Estado e da editora que publica obras de importância artística, científica e cultural.

A Imprensa Oficial editava, imprimia e distribuía material didático às escolas estaduais, a um custo muito mais baixo do que o Estado gasta atualmente com a iniciativa privada. A ficha de vacinação que viralizou nas redes sociais e virou símbolo de esperança para a população foi pensada, criada, produzida e entregue em tempo recorde pelo pessoal da gráfica da Imprensa Oficial. Esse patrimônio deve ser preservado!

Os três sindicatos que representam os trabalhadores da empresa (Jornalistas, Gráficos e Administrativos) ingressaram com ação pela reintegração dos demitidos. Não aceitamos o fim dos trabalhos essenciais desenvolvidos pela Imprensa Oficial. Se a Prodesp é a sucessora da empresa, tem a obrigação de manter essas atividades e seus profissionais.

Em defesa dos mandatos sindicais! Reintegração imediata dos dirigentes sindicais demitidos!

Pela manutenção do trabalho de edição do Diário Oficial e da gráfica!

Readmissão dos trabalhadores demitidos a partir de 2 de junho!

 

 

O SJSP precisa de você! 
Para que o Sindicato dos Jornalistas de SP continue a desenvolver o seu trabalho em defesa dos interesses da categoria, é fundamental a participação de tod@s na construção e no fortalecimento da entidade. Sindicalize-se! A mensalidade é de 1% do salário (com teto de R$ 60 na capital e de R$ 38 no interior) ou de R$ 60 e R$ 38 fixos (capital e interior) para quem não tem vínculo empregatício. O processo de sindicalização é online. Veja aqui.