Jornalistas com Lula e Haddad chamam ato na Praça Vladimir Herzog

Por Redação

O Comitê Popular de Jornalistas em Luta convida a categoria para uma manifestação nesta quinta (20), às 18h, por Lula Presidente e Haddad Governador. O ato será realizado na Praça Vladimir Herzog, localizada atrás da Câmara Municipal de São Paulo, na Rua Santo Antônio, Bela Vista. 

Durante a atividade, será novamente afixada uma placa instalada em 2019, pelo Dia do Jornalista, a qual continha um manifesto assinado por diversas organizações que defendem os direitos e o exercício profissional dos jornalistas. A placa foi vandalizada em outubro, mas as imagens não parecem indicar motivação política para isso. 

O ato desta quinta, inteiramente organizado por este Comitê, também teve os custos rateados por colegas jornalistas envolvidos nesse debate. 

Veja abaixo o manifesto divulgado pelo Comitê sobre o 2o turno das eleições.

"POR DIREITOS, POR DIGNIDADE E POR DEMOCRACIA:

JORNALISTAS POR LULA PRESIDENTE E HADDAD GOVERNADOR

 A vitória da cultura do ódio ou o renascimento da esperança e da autoestima do povo brasileiro. A completa submissão do país a interesses externos e de poucos privilegiados ou a reconquista de nossa soberania. O massacre da classe trabalhadora pela fome, desemprego e aniquilação de direitos ou o início de um novo ciclo de lutas por dignidade e garantias sociais. O autoritarismo legitimado pela violência do Estado e de agentes privados ou o fortalecimento de uma democracia que realmente sirva ao seu povo. Enfim, a barbárie ou a soberania popular.

É sobre isso que se trata a disputa das eleições do dia 30 de outubro. Nós, jornalistas, passamos os últimos quatro anos realizando nosso trabalho sob ameaças, xingamentos, ataques e perseguições cometidas diretamente por Jair Bolsonaro e amplificadas por seus seguidores. Sabemos na pele o que significa a ameaça de um governo criminoso e de seus desejos autoritários de silenciar a livre circulação de informações. Bolsonaro foi condenado, em primeira instância, por assédio moral coletivo contra a nossa categoria, em processo movido pelo Sindicato dos Jornalistas de SP.

Assim, as e os jornalistas de São Paulo não podem pensar em outra opção neste segundo turno que não seja a intransigente luta pela derrota de Bolsonaro e pela eleição de Luís Inácio Lula da Silva. Reafirmamos a independência do trabalho jornalístico e respeitamos a posição individual de colegas que preferem não se manifestar politicamente em um ambiente já contaminado pelo ódio político promovido pelo bolsonarismo. 

Mas sabemos bem que este momento do processo eleitoral não apresenta uma escolha muito difícil. Nunca o foi. Lula e Bolsonaro jamais serão comparáveis e não são dois extremos de uma mesma moeda. Há apenas uma dicotomia possível aqui. Bolsonaro representa o porão dos 500 anos de horrores e violência que marcam nosso país sob o jugo de sua classe dominante. Já Lula, com todos os desafios e dificuldades impostos por esta difícil conjuntura, simboliza a possibilidade de que construir um país mais digno é um direito inerente ao povo brasileiro.

Neste sentido, também reconhecemos em Fernando Haddad a esperança concreta de que o estado de São Paulo tenha um governador capaz de lutar ao lado da classe trabalhadora por direitos e dignidade. Para nós, jornalistas, a eleição de Haddad também representará a possibilidade do fortalecimento da comunicação pública, desprezada nas últimas décadas com o sucateamento da TV Cultura e a extinção da Imprensa Oficial. As eleições para o governo estadual paulista espelham a luta que ocorre em âmbito nacional e, assim, temos o dever de lutar com todos os nossos esforços para derrotar Bolsonaro e seus prepostos.

Nos somamos a todas e todos os companheiros que resistem bravamente desde 1º de janeiro de 2019 e que não tiraram os pés das ruas neste período eleitoral. Falta pouco, muito pouco para virarmos uma das mais tristes páginas da história do Brasil. A esperança vencerá o ódio. O povo brasileiro vencerá Bolsonaro.

Comitê Popular de Jornalistas Lula Presidente e Haddad Governador"