Jornais e Revistas da Capital: patrões propõem a reposição da inflação de 2,05% para salários até R$ 10 mil e reajuste zero para as demais cláusulas econômicas

Reajuste entraria em vigor no mês da assinatura do acordo. Sindicato convoca os jornalistas para assembleia virtual nesta quinta-feira (21), às 11h

Após os jornalistas rejeitarem por unanimidade o reajuste zero que as empresas de jornais e revistas da capital apresentaram em dezembro, e reivindicarem o reajuste de 2,05% retroativo a junho, os patrões enviaram hoje ao Sindicato dos Jornalistas uma nova proposta:

- Para salários até R$ 10 mil, reajuste de 2,05%, aplicados a partir do mês de assinatura da renovação da Convenção Coletiva;
- Para salários superiores a R$ 10 mil, reajuste fixo de R$ 205;
- Pagamento zero de PLR;
- Reajuste zero das demais cláusulas econômicas (como vale refeição, vale transporte, auxílio creche etc.);
- Manutenção da data-base para 1º de junho.

É importante destacar que, nesta proposta, as empresas rejeitam o pagamento retroativo do reajuste pela inflação dos meses decorridos desde a data-base de 1º de junho de 2020. Temas referentes a outras reivindicações, como auxílio financeiro ao home office, também foram desconsiderados pelos patrões.

Diante dessa nova proposta, o Sindicato dos Jornalistas convoca uma assembleia virtual para a próxima QUINTA-FEIRA, 21 DE JANEIRO, ÀS 11H. O link será enviado nos grupos das redações do WhatsApp, mas você pode requisitá-lo enviando uma mensagem para o número (11) 96028-7769.

Convide os seus colegas a participarem dessa conversa aberta, ajudando a enriquecer o debate e fortalecendo a nossa campanha salarial.