FENAJ quer apoio da categoria para proposta de taxação das plataformas digitais e criação de fundo de financiamento do jornalismo

Seminário para a Região Norte reuniu mais de 50 participantes em ambiente virtual, com transmissão ao vivo

Por Redação - Fenaj

Primeiro seminário “Jornalismo, Sim”, voltado para a região Norte do país, abriu a discussão sobre a necessidade de financiamento do jornalismo de qualidade, nesta terça-feira (20/07). Realizado pela Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e pelos Sindicatos filiados, o seminário terá mais nove edições em todas as regiões do país, numa iniciativa que tem apoio da Union to Union (UTU).

A presidenta da FENAJ, Maria José, afirmou que “há uma crise no jornalismo e no modelo de negócio dos veículos. Com surgimento de novas tecnologias, a receita (dos veículos de mídia) diminuiu, migrando para as plataformas digitais”. Para a jornalista, com o crescimento destes grandes conglomerados digitais, de forma desregulamentada, é necessário que as plataformas sejam taxadas nos países em que elas atuam.

A Federação propõe a taxação destas grandes plataformas digitais por meio de uma Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE). Os recursos arrecadados devem ser direcionados a um fundo de fomento e financiamento do jornalismo, que seria gerido por um conselho gestor, que por meio de chamamentos públicos, seguindo diretrizes de defesa da liberdade de imprensa, livre acesso à informação e democratização aos meios de comunicação.

Ivânia Vieira, professora de comunicação da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), também participou do debate. “Nós devemos pensar qual jornalismo deve ser apoiado, fomentado e financiado?”, questionou. A professora considera que é preciso pensar sobre que qualidade queremos do jornalismo que deve ser financiado.

Kátia Brasil, editora executiva da agência Amazônia Real, comentou da experiência da criação de veículos independentes neste período de crise dos meios. “É impossível fazer um jornalismo investigativo sustentado por recursos públicos”, disse. Hoje a agência tem financiamento de uma fundação internacional e de doação do público.

A proposta da FENAJ de taxação das plataformas digitais e de criação de um fundo de fomento ao jornalismo ainda será aprovada no Congresso Nacional dos Jornalistas, que será realizado em setembro deste ano, de maneira virtual.

O evento foi coordenado pelo jornalista Wilson Reis, presidente do Sindicato dos Jornalistas do Amazonas.

Na próxima semana, três eventos dão continuidade ao Seminário “Jornalismo, Sim”. Na terça-feira (27/07), ocorre o debate com os jornalistas da região Sul; na quarta (28/07), com a região Sudeste; e na quinta (29/07), com a região Centro-Oeste. As inscrições já estão abertas no site da FENAJ.

O debate da Região Nordeste será no dia 3 de agosto. Outros cinco seminários, em cada uma das regiões do país, serão realizados com representantes da sociedade civil organizada ainda no mês de agosto.