Empresas de TV demitem durante campanha salarial

No dia de mesa de negociação, TV Tem demite em várias praças

A campanha salarial de rádio e TV não inibiu as empresas do setor em demitir, numa atitude antissindical. A TV Tem lidera a lista de cortes nos últimos dias, demitindo jornalistas em Itapetininga, Sorocaba, São José do Rio Preto e Bauru.

O Sindicato dos Jornalistas manifestou seu repúdio durante a mesa de negociação da campanha salarial desta quarta-feira (2), deixando claro que essa não é uma atitude condizente com esforço em negociar, ainda mais que a categoria já tem sido sacrificada com perdas de direitos e riscos no exercício da profissão durante a pandemia.

O enxugamento das redações não só são um ataque à categoria, como uma ameaça ao direito de informação de qualidade. Situação ilustrada em Itapetininga, cujo sinal passará a ser transmitido por Sorocaba e onde cinco jornalistas foram demitidos.

O Sindicato tem se colocado à disposição dos demitidos, por meio de suas regionais, e orienta a categoria a manter-se unida e mobilizada na campanha salarial, não aceitando tentativas de intimidação contra a organização dos jornalistas.

 

 

 

O SJSP precisa de você!
Para que o Sindicato dos Jornalistas de SP continue a desenvolver o seu trabalho em defesa dos interesses da categoria, é fundamental a participação de tod@s na construção e no fortalecimento da entidade. Sindicalize-se! A mensalidade é de 1% do salário (com teto de R$ 60 na capital e de R$ 38 no interior) ou de R$ 60 e R$ 38 fixos (capital e interior) para quem não tem vínculo empregatício. O processo de sindicalização é online. Veja aqui.