Empresas avançam na proposta, mas não garantem reposição da inflação para maior parte da categoria

Patrões ofereceram três faixas de reajuste e a volta da multa da PLR

Por Adriana Franco - Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

Diante da perspectiva de paralisação da categoria por duas horas na próxima quarta-feira (10), as empresas avançaram na proposta sem garantir reposição da inflação para maior parte da categoria. Durante a mesa de negociação, os patrões ofereceram três faixas de reajuste e a volta da multa da PLR reajustada em 8,9%.

Para salários de até R$ 5 mil, o reajuste salarial seria pela inflação (8,9%), sendo 5% retroativo à data-base em junho e a diferença em janeiro. Já os salários entre R$ 6 mil e R$ 7 mil sofreriam reajuste de 6% em duas parcelas, sendo 5% em junho e a diferença em janeiro e os salários superiores a R$ 7 mil teriam reajuste fixo de R$ 420, sendo R$ 350 retroativo a junho e a diferença em janeiro. O pagamento das diferenças se daria em duas parcelas: em novembro e dezembro.

O presidente do SJSP, Thiago Tanji, reconhece o avanço na negociação ao que atribui à unidade da categoria e à paralisação programada para a próxima quarta-feira (10). “Há um avanço na proposta, mas ainda estamos longe de chegar aos 8,9% para a maior parte dos salários. Além disso, a primeira faixa de reajuste para salários de até R$ 5 mil, na verdade, fica abaixo do piso de 7 horas que é em torno de R$ 5.400”, salientou.

A nova rodada de negociação da Campanha Salarial de Jornais e Revistas da Capital entre o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) e o sindicato patronal (Sindijori) aconteceu nesta segunda-feira (8).

Com a proposta em mãos, o SJSP convoca toda a categoria do segmento para a assembleia virtual dos jornalistas nesta terça-feira (9) às 10h30 para debater os rumos da campanha salarial e discutir a paralisação de duas horas programada para quarta-feira (10).

O link da reunião será encaminhado nos grupos das redações com o Sindicato e pode ser solicitado pelo número (11) 91366-3598.