Deputado Eduardo Bolsonaro é condenado em R$ 30 mil por assédio moral à jornalista Patrícia Campos Mello

Por Adriana Franco - Sindicato dos Jornalistas de São Paulo / Foto de capa: Najara Araújo - Câmara dos Deputados

O deputado federal e filho do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), foi condenado em R$ 30 mil por danos morais a jornalista Patrícia Campos Mello. Em transmissão ao vivo no canal do Youtube Terça Livre, o deputado acusou, em maio de 2020, a profissional de tentar seduzir fontes para obter informações prejudiciais ao presidente Jair Bolsonaro. Após as declarações, o deputado repetiu as alegações em suas redes sociais.

Em 2018, Eduardo Bolsonaro já havia feito acusação similar contra Patrícia Campos Mello ao afirmar que ela havia se insinuado sexualmente para obter informações com Hans River Rio do Nascimento, ex-funcionário da empresa Yacows, acusada de fazer disparos em massa nas eleições de 2018 financiados por empresas privadas, o que é contra a legislação eleitoral. No entanto, o processo refere-se apenas aos ataques proferidos pelo deputado no canal do Youtube.

A advogada Taís Gasparian, especialista em mídia e Internet, destacou que “a vitória é muito relevante para sinalizar para a família Bolsonaro que a imprensa tem um papel relevante e que machismo e misoginia não tem vez nos tribunais brasileiros”.

Como a condenação foi em primeira instância ainda cabe recurso.

No twitter, a jornalista celebrou a vitória.