CUT/SP repudia eleição do deputado Marco Feliciano para presidir a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara

Posicionamento da Central se refere à declarações passadas do deputado quando, em 2011, publicou nas redes sociais mensagens homofóbicas e racistasA executiva estadual da...

Posicionamento da Central se refere à declarações passadas do deputado quando, em 2011, publicou nas redes sociais mensagens homofóbicas e racistasA executiva estadual da Central Única dos Trabalhadores de São Paulo (CUT/SP), junto a lideranças sindicais do Estado de SP, reunidas no seminário História de Luta por Igualdade na Vida, no Mundo do Trabalho, no Movimento Sindical e a Paridade na CUT, no dia 08 de março, repudiam a eleição do deputado Marco Feliciano (PSC) para presidir a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados - CDHM.

O posicionamento da Central se refere à declarações passadas do deputado quando, em 2011, publicou nas redes sociais mensagens discriminatórias contra homossexuais e africanos. Além disso, ele responde a processos no Supremo Tribunal Federal (STF) por episódios de racismo, anteriores ao posto eleito.

A CUT/SP entende que uma comissão criada a partir das reivindicações legítimas dos movimentos sociais e sindicais para tratar da afirmação dos direitos da classe trabalhadora e de sua pluralidade, contra qualquer forma de violência, deva ser presidida por parlamentares historicamente comprometidos com as minorias de nosso país. 

Por isso, a CUT Estadual, junto à CUT Nacional, atuará fortemente contra o retrocesso e o anacronismo que representa a eleição do deputado Marco Feliciano na CDHM.

Lutaremos pela manutenção e efetivos avanços dos Direitos Humanos no Brasil.

Texto: CUT/SP