Campanhas Salariais de Jornais e Revistas: Sindicato pede início das negociações

Data-base da categoria é nesta terça-feira (1º)

Por Adriana Franco - Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

Hoje, dia 1º de junho, é a data-base dos jornalistas que atuam em jornais e revistas na capital e no interior. O Sindicato dos Jornalistas tem solicitado o posicionamento das empresas para agendar a primeira rodada de negociação para o reajuste salarial e negociação das demais cláusulas econômicas e sociais. Tanto o sindicato patronal da capital como do interior precisam responder à nossa pauta de reivindicações.

As Convenções Coletivas de Trabalho (CCT) contam com uma série de cláusulas econômicas e sociais que regulamentam a relação de trabalho entre jornalistas e patrões. Após assembleias e reuniões com a categoria, enviamos no dia 1º de abril as pautas de reivindicações que buscam assegurar direitos e avançar nas condições econômicas e de melhoria do exercício da profissão. 

Entre os destaques, está a reivindicação de um reajuste salarial capaz de repor as perdas inflacionárias no período de 1º de junho de 2020 a 31 de maio de 2021, mais 3% de aumento real. A inflação acumulada dos últimos 12 meses do INPC (Índice Nacional de Preços do Consumidor) foi de 7,59% — na prática, a inflação de alimentos e serviços essenciais é ainda maior, atingindo diretamente as condições econômicas de nossa categoria.

As pautas também incluem auxílio para o home office, para reembolsar os custos diretos e indiretos do trabalho remoto, além da garantia de que a jornada de trabalho e o controle de frequência sejam devidamente respeitados; reajuste maior nos vales alimentação e refeição; e licença-maternidade de 6 meses.

Veja as pautas completas enviadas às empresas com as nossas reivindicações:

Pauta de Jornais e Revistas da Capital

Pauta de Jornais e Revistas do Interior, Litoral e Grande São Paulo