Vereador de Campinas ataca a imprensa; Sindicato cobra retratação

Após declaração em rede social, SJSP e Fenaj enviaram ofício à Câmara Municipal cobrando postura

Por Adriana Franco - Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

Em mais um ataque à imprensa, o vereador de Campinas Nelson Hossri (PSD) culpou “parte da imprensa de bosta” pela divisão política durante a pandemia de coronavírus. Foi na postagem de um terceiro em rede social que o político promoveu o ataque por meio de um comentário.

Os ataques à imprensa por parte dos políticos não são exatamente uma novidade. De acordo com o relatório “Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil” da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), 69,23% das agressões de 2019 foram feitas por políticos. Além disso, grande parte (54,81%) foram de descredibilização da imprensa, como aconteceu desta vez.

Marcos Aparecido Rodrigues Alves, diretor da Regional de Campinas do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP), classifica os ataques como uma cortina de fumaça para esconder a incapacidade dos políticos em resolver os problemas. “Na falta de condição de dar resposta à sociedade, eles dizem que a imprensa é responsável.”

Marcos ressalta que, nas coberturas de saúde pública, a imprensa depende das informações passadas pelas autoridades e, por isso, o que tem sido feito é divulgar as informações existentes. O diretor destaca, por exemplo, que tais ataques expõem os profissionais nas ruas e perante à sociedade. “Como fica o jornalista que vai pra rua”, questiona Marcos.

Diante do ataque, o SJSP e a Fenaj enviaram à Câmara Municipal de Campinas um pedido de retratação aos jornalistas (veja o documento aqui). Marcos ressalta que o ofício enviado à Câmara marca a posição pública do Sindicato diante do ataque e em defesa da categoria. “Não passamos ao largo dos ataques promovidos contra a categoria. Estamos acompanhando os acontecimentos e cobrando as medidas de quem de direito”, disparou.

A vice-presidente regional da Fenaj, Márcia Quintanilha, faz coro com Marcos. Para ela, “é um absurdo que uma pessoa, eleita pelo voto popular, faça este tipo de declaração em meio a essa crise de saúde pública.” A jornalista também destaca que os profissionais da imprensa não têm medido esforços para prestar os esclarecimentos necessários à população durante a pandemia, inclusive se colocando frente a frente com o perigo. “Essa declaração leviana tem que ser retirada, sob a pena dele ter que responder judicialmente. Esperamos que a Câmara Municipal, através de seu presidente, e seus demais membros, nos ouça e nos defenda desse tipo de político que pretende aparecer em meio a esse caos”, disse Márcia.