Trabalhadores da Editora Abril protestam nesta sexta (10)

Jornalistas, gráficos e administrativos se mobilizam contra as demissões em massa na empresa

Por Flaviana Serafim - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

Os jornalistas, gráficos e administrativos da Editora Abril realizam ato público em protesto contra as demissões coletivas nesta sexta-feira (10), às 13h, em frente ao prédio da empresa na Av. Otaviano Alves de Lima nº 76, Freguesia do Ó, ao lado da Marginal Tietê, na região oeste da capital paulista. As categorias realizam mobilização conjunta para contra a dispensa em massa promovida pela Abril desde o início desta semana.

No protesto, que integra o Dia do Basta realizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) em conjunto com outras centrais sindicais neste 10 de agosto, os profissionais reivindicam a reintegração dos demitidos e a garantia plena de todos os direitos trabalhistas, que a empresa insiste em desrespeitar.

As categorias rechaçam as centenas de demissões e afirmam que seguirão lutando também contra a “reforma” trabalhista que vigora desde novembro de 2017 que, entre outros, facilita demitir sem negociação prévia com os sindicatos dos trabalhadores e trabalhadoras.

Sindicato dos Jornalistas luta pela reintegração dos demitidos

Na manhã da segunda-feira (6/8), a editora demitiu cerca de 100 jornalistas e anunciou o fechamento das revistas Arquitetura e ConstruçãoBoa FormaCasa Claudia, CosmopolitanElle, Minha Casa e Mundo Estranho. Houve ainda a demissão em massa de outras centenas de trabalhadores administrativos e gráficos da empresa.

Ainda na tarde da segunda, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) entrou com pedido de antecipação de tutela para a anulação das demissões, e luta pela reintegração imediata dos profissionais, porque a Abril já responde uma ação civil pública, movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), para reverter dispensa coletiva realizada pela editora no final de 2017.

Na manhã desta quinta-feira (9), a Abril demitiu toda a redação do Guia do Estudante, deixando mais 15 jornalistas sem emprego, e ampliou as demissões em outras redações. Em nota oficial divulgada em 6 de agosto, porém, a editora havia comunicado que iria concentrar “seus recursos humanos e técnicos em suas marcas líderes”, entre as quais o Guia do Estudante.

A direção do SJSP repudiou mais essa demissão coletiva e, para os sindicalistas, o fim de mais uma publicação demonstra que as posições oficiais da editora não se sustentam, pois a própria empresa viola o que disse três dias antes. A situação é ainda mais grave, avaliam os dirigentes do Sindicato, pois a Abril anuncia que pretende parcelar as verbas rescisórias em dez vezes, o que é notoriamente ilegal.

Ato público dos jornalistas, gráficos e administrativos contra as demissões na Editora Abril
Data: 10 de agosto de 2018
Horário: 13h
Local: em frente ao prédio da Abril na Av. Otaviano Alves de Lima nº 76 – Freguesia do Ó (ao lado da Marginal Tietê, entre as pontes da Freguesia do Ó e do Piqueri, sentido Osasco).