SJSP repudia ofensas de Joaquim Barbosa ao repórter do Estadão

 
 
 
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) repudia as declarações do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim...

 

 logo_sindicatologo_sindicato

 

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) repudia as declarações do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, que classificou como “palhaço” o jornalista Felipe Recondo, repórter do jornal O Estado de S. Paulo e mandou ele “chafurdar no lixo”.

O ministro irritou-se ao ser abordado na saída da sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Os jornalistas esperavam ao final da sessão para ouvi-lo sobre as críticas que recebeu das associações de classe da magistratura em nota divulgada no final de semana.

Ao abordar Joaquim Barbosa, dentro das prerrogativas que lhe conferem a profissão, o repórter do Estadão recebeu tratamento inaceitável com o cargo exercido pelo presidente do STF, que, antes de qualquer condição, por exercer função pública, deve satisfações à sociedade brasileira, independentemente do seu estado de humor.

Ao chamar um profissional de imprensa – ou mesmo um cidadão comum - de “palhaço” e mandá-lo “chafurdar no lixo”, o magistrado mancha a sua toga, utilizando termos incompatíveis com a sua função na Suprema Corte.

O Sindicato reitera que cabe à imprensa exatamente a fiscalização do poder público e que episódios como o ocorrido com o repórter Felipe Recondo se caracterizam como abuso de poder e revelam destempero, incompatível com o que se exige do presidente de uma instituição com o poder de decidir sobre os principais temas nacionais.  O SJSP manifesta sua solidariedade ao jornalista Felipe Recondo.