Sindicato protesta contra suspensão de liberação de diretor regional na Câmara

Carta Aberta aos Vereadores, à População, aos Jornalistas e aos Sindicatos de Piracicaba.
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo vem a público...

Carta Aberta aos Vereadores, à População, aos Jornalistas e aos Sindicatos de Piracicaba.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo vem a público protestar contra a decisão do diretor do Departamento de Comunicação da Câmara Municipal de Piracicaba Carlos Gaiad de suspender a liberação de diretores do Sindicato lotados na assessoria de imprensa, impedindo-os de participar das reuniões da diretoria da Entidade, medida esta prestigiada pelo presidente da Câmara vereador João Manoel dos Santos (PTB), conforme sua recente manifestação em plenário, na sessão de 31 de outubro passado.

A decisão comunicada pelo presidente contraria parecer da própria Assessoria Jurídica da Câmara, que em 1997 não encontrou obstáculos legais para que fosse consentida a dispensa de dirigentes sindicais para atividades do Sindicato, o que vinha ocorrendo, até então, normalmente.

O Sindicato dos Jornalistas considera tal medida como prática antissindical, que dificulta o exercício da representação sindical em defesa dos interesses dos jornalistas não só da Câmara, mas de todos os jornalistas paulistas, permitindo inferirmos que este gesto, intencionalmente ou não, vai ao encontro dos interesses patronais das empresas de comunicação.

O Sindicato dos Jornalistas sempre manteve com a Câmara um relacionamento de recíproco respeito. Em abril deste ano, o presidente João Manoel dos Santos recebeu representantes do Sindicato que solicitavam, então, a adesão da Mesa Diretora para aprovação de um Projeto de Lei que garantia a exigência do diploma específico em Jornalismo nos concursos públicos da Cidade.

Em agosto passado, o Sindicato pode usar a Tribuna Livre da Câmara para externar à comunidade e à edilidade o seu protesto contra o Jornal de Piracicaba, que, ostensivamente, demitiu o jornalista e diretor do Sindicato Carlos Eduardo Lucca, em plena fase de negociação da campanha salarial com o patronato de jornais e revistas do Interior, como forma inequívoca de intimidar os jornalistas da sua redação.

Em meados de outubro passado, devido a problemas internos que vinham ocorrendo no Departamento de Comunicação, de caráter absolutamente administrativo, envolvendo um diretor do Sindicato, Carlos Gaiad comunicou a suspensão das dispensas aos dirigentes sindicais para participarem de reuniões na sede do Sindicato, com nítido caráter de retaliação, dispondo à ilegalidade anos de procedimento de dispensa, desde 1997.

Na reunião camarária de 3 de novembro, da mesma Tribuna que em agosto o Sindicato defendia-se da agressão patronal vinda do Jornal de Piracicaba, o presidente João Manoel dos Santos, endossando a retaliação praticada pelo diretor de comunicação anunciou a sua decisão de não dispensar os diretores do Sindicato para atividades sindicais, visto que esses diretores tinham uma reserva de faltas a serem abonadas, como é comum a todos os servidores.

O presidente desconsiderou que as dispensas de dirigentes para o cumprimento de atividades sindicais não são benefícios pessoais, mas dizem respeito às conquistas trabalhistas em defesa dos interesses de toda a categoria e que fazem parte das lutas por conquistas de todo o movimento sindical.

O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo lamenta as agressões que vem sofrendo em Piracicaba, tanto as oriundas da área privada, como ocorreu com o Jornal de Piracicaba, como as que, surpreendentemente, se originam na Câmara Municipal e solicita o apoio dos vereadores, do movimento sindical piracicabano e da população em geral para e que rechacem todas as formas de retrocesso contra as atividades sindicais no município, como reconhecimento da legitimidade da atividade e da representação sindical e, particularmente, recolocando a Casa de Leis de Piracicaba na vanguarda da defesa dos interesses dos trabalhadores.

 

Saudações sindicais,

José Augusto Camargo

Presidente do SJSP