Sindicato fará nova assembleia no Brasil Econômico

 
 
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) estará presente na redação do jornal Brasil Econômico na próxima quarta-feira, 20 de...

brasileconomicobrasileconomico

 

 

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) estará presente na redação do jornal Brasil Econômico na próxima quarta-feira, 20 de março, às 15h, para debater a situação da empresa com os jornalistas e eleger os representantes da redação para a Comissão de Negociação que será formada. 



Diretores do Sindicato tiveram reunião nesta sexta-feira (15/3), na sede da entidade, com representantes da empresa, na qual entregaram o documento decidido em assembleia realizada na última quarta-feira.
O movimento no Brasil Econômico começou com notícias informais de que o jornal havia decidido transferir sua sede para o Rio de Janeiro, e que manteria em São Paulo apenas uma sucursal, resultando na demissão da maioria dos jornalistas. Antes da última assembleia, o Sindicato entrou em contato com a direção da empresa, que negou a existência de uma decisão de mudar a redação de cidade ou de demitir os trabalhadores.

Nessa situação, reuniu-se a assembleia. Naturalmente, a negativa da empresa não significa que as decisões reportadas não estejam sendo encaminhadas. Com a participação do conjunto da redação, cerca de 50 jornalistas de texto e arte, decidiu-se então encaminhar uma carta para a empresa solicitando o compromisso de garantia de emprego para todos e de que, caso a empresa tenha planos de mudar a redação de cidade ou de demitir jornalistas, avise o Sindicato com antecedência de 30 dias, para que se inicie uma negociação direta. Do documento, constou também a reivindicação de que a empresa voltar a colocar um serviço de transporte à disposição dos repórteres para a realização das pautas.

Na reunião desta sexta-feira, a empresa recebeu a carta e foi acertada a realização de uma assembleia na redação, para eleger dois jornalistas (um titular e um suplente) para integrar uma comissão de negociação, que fechará o acordo final com relação à demissão dos jornalistas do jornal Marca (fechado em novembro) e discutirá a situação do Brasil Econômico. A carta entregue pede uma resposta da empresa em 72 horas para apreciação dos jornalistas.

O Sindicato dos Jornalistas age na defesa intransigente dos postos de trabalho, e é contra qualquer demissão. É com essa disposição que encaminha esta luta.