Sindicato e Fenaj repudiam ataques aos jornalistas Anderson Santos da Rocha e Luiza Zanchetta

Por Redação - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

Anderson Santos da Rocha foi agredido populares enquanto trabalhava e precisou ser levado ao hospital / Foto: Arquivo pessoalAnderson Santos da Rocha foi agredido populares enquanto trabalhava e precisou ser levado ao hospital / Foto: Arquivo pessoal

Na manhã da quinta-feira, 18 de dezembro, uma equipe do programa Cidade Alerta, da TV Record, foi agredida quando fazia a cobertura do caso de desaparecimento de uma menina na cidade de Hortolândia (SP).

Ao ser descoberto o corpo da menina, por volta de 9 horas da manhã, populares acorreram ao local e agrediram o cinegrafista Anderson Santos da Rocha - que acompanhava a repórter Luiza Zanchetta - para tentar impedir a reportagem, apesar dos avisos da equipe de que não seriam divulgadas imagens da criança. Anderson levou socos na região da cabeça, foi encaminhado para um hospital e registrou Boletim de Ocorrência na delegacia de Indaiatuba. O veículo da equipe também foi danificado.

Outras duas equipes de TV estavam no local e tentaram conter os agressores. Segundo testemunhas, três homens desferiram os ataques ao cinegrafista.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), repudiam e lamentam essa agressão. Mesmo sob forte impacto emocional devido à tragédia, é inadmissível o ataque a um trabalhador que está no local para exercer sua profissão e saberá, com certeza, ter respeito pela dor dos familiares e amigos.

A escalada de violência contra profissionais de imprensa, incentivada por um governo que propaga o ódio, tem que receber o mais veemente repúdio de toda a sociedade.