Sindicato dos Jornalistas repudia mais demissões na Abril, agora no Guia do Estudante

Para direção da entidade, fim de mais uma publicação demonstra que nota oficial da editora é falaciosa

Por Redação - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

Após a demissão em massa de cerca de 100 jornalistas e o anúncio do encerramento de publicações na última segunda-feira (6), a Editora Abril demitiu outros 15 profissionais da redação do Guia do Estudante na manhã desta quinta-feira (9).

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) repudia a continuidade das demissões coletivas que representam um ataque para destruição da empresa sob o disfarce de “reformulação” do portfólio de marcas da editora.

A entidade prossegue na luta pela reintegração dos demitidos, em defesa dos empregos e dos salários, e a direção do SJSP está nesta quinta-feira na Editora Abril novamente acompanhando a situação de perto para prestar todo apoio necessário.

Na última segunda-feira, o Sindicato já entrou com pedido de antecipação de tutela na 61ª Vara do Trabalho de São Paulo contra as demissões na Abril, pois a empresa é alvo de uma ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho para impedir mais dispensa em massa como vem ocorrendo desde o ano passado.

O que preocupa ainda mais a direção do Sindicato dos Jornalistas é que, em nota oficial divulgada neste 6 de agosto, a Abril afirmou que iria concentrar “seus recursos humanos e técnicos em suas marcas líderes”, entre as quais estava o Guia do Estudante, e, três dias depois, a empresa decide fechar o guia e demitir toda a redação da publicação.

Para a direção do Sindicato, as afirmações da editora não têm qualquer valor porque a própria empresa se contradiz entre o discurso e a prática, o que fica comprovado com mais essa demissão coletiva no Guia do Estudante.

A situação é gravíssima, pois, da mesma forma, a Abril promete aos demitidos que vai pagar as verbas rescisórias parceladas em dez vezes, afirmação que não é crível nem para a direção do SJSP nem para os cerca de 120 jornalistas dispensados em apenas uma semana. É dessa forma, com uma nota oficial falaciosa, que a editora faz seu “agradecimento pela dedicação e pelo profissionalismo” de centenas de demitidos e reafirma “seu compromisso de manter vivo o jornalismo de qualidade”.

Ao contrário da Editora Abril, que aposta no desemprego em nome do lucro, o Sindicato dos Jornalistas tomará todas as medidas cabíveis para reintegrar os demitidos e para garantir empregos.

São Paulo, 9 de agosto de 2018. 

Direção - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo