Repúdio à agressão contra os repórteres Marcelo Mattos e João Pedro Montans

Por Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo vem a público manifestar seu repúdio às agressões sofridas pelo repórter Marcelo Mattos e o cinegrafista João Pedro Montans, da Rádio Jovem Pan, e prestar sua solidariedade aos profissionais. Durante a cobertura das manifestações desta quinta-feira (30/5), na capital paulista, Mattos foi hostilizado enquanto fazia uma participação ao vivo na programação da emissora para a qual trabalha.

O Sindicato dos Jornalistas considera que a população tem o direito se protestar contra qualquer veículo de comunicação, cuja direção define a linha editorial. Defendemos a ampla liberdade de questionar, contestar, discordar e criticar o posicionamento adotado por qualquer meio de comunicação.

No entanto, nada justifica o cerceamento do direito ao trabalho do repórter. Ele é tão trabalhador quanto o funcionário de qualquer outra empresa, de qualquer outro setor, e deve ser respeitado em sua integridade física e na dignidade do seu trabalho. Agredi-lo, hostilizá-lo ao vivo, tentar impedi-lo de trabalhar não faz parte da construção de um país livre e democrático. O Sindicato dos Jornalistas defende o respeito ao exercício do jornalismo e combate a violência contra os profissionais, problema que se agrava nos últimos anos.

A liberdade de imprensa e de expressão tem estado sob ameaça no Brasil atual. Atos violentos contra jornalistas se multiplicam, seja física ou virtualmente, nas redes sociais. Diante dessas situações, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo tem feito plantões para o recebimento de denúncias e prestado assistência aos profissionais que se veem agredidos ou ameaçados no exercício de suas funções, e está de portas abertas em sua sede e por meio de sua diretoria e seus canais de comunicação para acolher e assistir esses profissionais.

 

Violência contra jornalista! Atentado contra a democracia!

 

A direção