Pelo menos seis jornalistas foram presos enquanto cobriam uma manifestação em Angola

Por Redação

Pelo menos seis jornalistas foram presos pela polícia, no dia 24 de outubro na capital angolana, Luanda, durante a cobertura de uma manifestação organizada por ativistas da sociedade civil e apoiada pela oposição para exigir melhores condições de vida e empregos. A Federação Internacional de Jornalistas (IFJ) junta-se ao seu afiliado Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) na condenação das detenções arbitrárias de trabalhadores da comunicação social e apela às autoridades angolanas para que parem de intimidar os jornalistas.

Foram presos os jornalistas Suely de Melo, Carlos Tomé, Santos Samuesseca, Leonardo Faustino e seu motorista, todos da Radio Essencial, além dos jornalistas Domingos Caiombo e Octavio Zoba da TV Zimbo e um fotógrafo.

Segundo o presidente da SJA, Teixeira Cândido, a polícia obrigou um cinegrafista da TV Zimbo a deletar as imagens gravadas por ele e agrediu o forógrafo da AFP, embora ele se tenha identificado como jornalista. “Há um ano pedimos um encontro com o comandante provincial de Luanda e saímos com a garantia de que não haveria mais prisões e agressões. Infelizmente voltou a acontecer e com brutalidade”, disse Teixeira Cândido.