Patrões de rádio e tv propõem reajuste zero e fim do PPR e abono salarial

Primeira rodada de negociação acontece nesta quarta-feira (2)

Por Adriana Franco - Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

Os patrões das empresas do segmento de rádio e televisão apresentaram a primeira contraproposta na negociação da campanha salarial 2020-2021: reajuste zero e fim do Programa de Participação nos Resultados (PPR), pago aos jornalistas das empresas de rádio e televisão, e do abono salarial, pago aos jornalistas das fundações. Esta é a proposta que será discutida na primeira rodada de negociação nesta quarta-feira, dia 2 de dezembro.

A reivindicação da categoria é pela renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) com reposição da inflação do período + 4,5% (perdas entre 2015 e 2017). Nas cláusulas sociais, a categoria reivindica a alteração na cláusula de escalas – atualmente, os domingos trabalhados são compensados como um dia comum, prejudicando a categoria - e a inclusão de uma cláusula de home office que garanta a marcação do ponto com a manutenção da jornada de trabalho. A data-base da categoria é 1º de dezembro.

Em breve, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) deve convocar a categoria para nova assembleia para debater o andamento da campanha.