Nota de solidariedade à luta por moradia

Por Redação - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

Ao final da assembleia do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJSP), na quarta-feira (26),  o secretário do interior José Eduardo Souza leu uma moção de solidariedade ao movimento de moradia, que teve militantes presos no dia 24 de junho. A moção foi aprovada pela assembleia, bem como outra moção de apoio à greve dos jornalistas de Alagoas.

Leia abaixo a moção de solidariedade ao movimento de moradia.

Nota de solidariedade à luta por moradia!

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo repudia a escalada de criminalização dos movimentos sociais, expresso no dia 24 de junho pela prisão de militantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto do Centro de São Paulo, além de mandados de busca e apreensão a diversas outras lideranças.

Em nota, o Movimento Sem Teto do Centro (MSTC) informou que “o pedido de prisão temporária integra investigação sobre o prédio que desabou no Largo do Paissandu, em maio de 2018, e se baseia na declaração de supostas testemunhas sobre cobrança indevida de aluguel”. Entretanto, não existem provas ou motivações jurídicas para tal decisão, configurando-se prisões arbitrárias e ações coercitivas que visam a criminalizar quem luta pelo direito à moradia.

Em defesa da democracia e dos Direitos Humanos, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo exige a imediata libertação dessas lideranças. Moradia é um direito. Lutar não é crime!

São Paulo, 26 de junho de 2019