Nota de repúdio ao ataque aos militantes do MST

Por Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

A luta pela reforma agrária sofreu mais um violento ataque na manhã desta quinta-feira, 18 de julho. Integrantes do acampamento Marielle Vive, em Valinhos, cidade próxima a Campinas, foram atropelados por uma caminhonete enquanto realizavam a distribuição de alimentos aos integrantes do acampamento. Eles também bloquearam a Estrada do Jequitibá, que dá acesso à área ocupada, para pressionar a prefeitura de Valinhos para liberar o fornecimento de água para a ocupação.

Durante a realização do protesto, o motorista jogou propositadamente o veículo contra os manifestantes. O atropelamento causou a morte, no local, do educador Luiz Ferreira da Costa, de 72 anos, e ferimentos em várias pessoas, entre elas o jornalista Carlos Filipe Tavares da rádio Noroeste FM, que fazia a cobertura da manifestação. Ele foi socorrido e encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Valinhos, medicado e liberado em seguida.

A direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) repudia mais este ataque de intolerância à luta pela reforma agrária no país, que se junta a outros recentes ataques a movimentos sociais e da sociedade civil que lutam por direitos. E exige das autoridades responsabilização e punição do autor, que já foi identificado e confessou o crime.

A direção manifesta pesar pelo falecimento de Luiz Ferreira da Costa e coloca o Sindicato à disposição do jornalista Carlos Filipe Tavares para a adoção de medidas visando a responsabilização do agressor.

Direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo