Nota da Regional Campinas do Sindicato dos Jornalistas e da FENAJ contra o ataque racista sofrido pelo jornalista Júlio Nascimento

Por Redação - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

A Regional Campinas do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo e a Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ lamenta, condena e repudia as agressões racistas sofridas pelo jornalista Júlio Nascimento, da Rede Bandeirantes de Televisão, na última sexta-feira, dia 22 de novembro, nas dependências do Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, logo após o término da partida entre Guarani Futebol Clube e América Futebol Clube.

Ao passar em frente às cadeiras vitalícias do estádio, o jornalista Júlio Nascimento foi vítima, gratuitamente, de xingamentos de um dos torcedores do Guarani, que se dirigiu a ele com ofensas racistas, como "macaco" e "negro safado". O jornalista ficou tão abalado com as agressões, que se dirigiu às cabines da Rede Bandeirantes no estádio e não conseguiu, naquele momento, relatar o ocorrido.

É lamentável e absurdo que esse tipo de situação ainda ocorra. Entretanto, infelizmente, esse tipo de situação não é surpreendente, tendo em vista que temos no Governo Federal um presidente com comportamento abertamente racista, que frequentemente torna público seu sentimento de desprezo para com o povo negro e sua história. É ainda mais lamentável o fato de que essas agressões tenham ocorrido na semana em que é celebrado o Dia da Consciência Negra e que é relembrada a vida e morte do grande líder negro Zumbi dos Palmares.

Diante desse ocorrido revoltante, a Regional Campinas do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo e a FENAJ exigem providências das autoridades e sobretudo exigir que o Guarani Futebol Clube adote medidas para, não só identificar o torcedor racista, mas também puni-lo. Caso ele seja sócio do clube, que sejam aplicadas as sanções previstas no estatuto. Esse tipo de comportamento não pode ser mais tolerado. Se o Guarani deseja mostrar que não compactua com esse tipo de atitude, deve tomar medidas semelhantes.

Soubemos que a Rede Bandeirantes colocou o seu departamento jurídico à disposição do colega Júlio Nascimento. No entanto, vamos continuar acompanhando o desenrolar destes fatos até o seu final. E exigimos que o torcedor agressor receba a punição à altura do crime cometido por ele, pois, racismo é crime inafiançável.

O Sindicato e a FENAJ manifestam solidariedade ao jornalista Júlio Nascimento e se colocam a sua disposição para tomar as medidas que ele considerar cabíveis. Desde já, as entidades deixam sua mais veemente condenação a esse ataque racista. Isso não pode mais ser tolerado. Não basta não ser racista, é preciso ser antirracista!

Regional Campinas do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo

Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ