Jornalistas participam de ato em defesa de estatais paulistas, como a IMESP

Protesto denunciou projeto do governo Doria (PSDB) de privatizar, extinguir ou fundir empresas que prestam serviços estratégicos ao povo de São Paulo, entre elas a Imprensa Oficial

Por Redação

Uma manifestação percorreu a rua Boa Vista, do centro da capital paulista no final da manhã desta segunda, 6, contra o Projeto de Lei 1/2019, do governador João Doria. Cerca de 200 pessoas, entre funcionários das seis empresas atingidas pelo projeto, dirigentes dos sindicatos que representam estes trabalhadores e a CUT, denunciaram à população a proposta do governo de entregar à iniciativa privada ou extinguir estatais que prestam serviços estratégicos para toda a sociedade.

O PL 1/2019 atinge, sem explicitar exatamente qual o objetivo em cada caso, a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo (Imesp) e mais cinco empresas públicas: Prodesp, Dersa, Codasp, CPOS e Emplasa. Mais de 3 mil trabalhadores atuam nessas companhias, as quais, por outro lado, desenvolvem ações de responsabilidade única e exclusiva do Poder Público. Para saber mais sobre sobre o papel social das empresas, acesse aqui.

No ato, além de funcionários das empresas, estiveram presentes os Sindicatos dos Jornalistas, dos Gráficos, dos Administrativos (os três representando trabalhadores da Imesp), o Sindpd (trabalhadores da Prodesp), Sindbast (trabalhadores da Codasp). Metroviários e o Sintaema (trabalhadores da Sabesp) também participaram. A mobilização continua: os funcionários seguem realizando visitas aos deputados estaduais na Assembleia Legislativa. Nesta terça, estarão presentes na entrada do Colégio de Líderes. 

Saiba mais sobre a Imprensa Oficial
Instrumento de cidadania, o Diário Oficial dá acesso democrático às decisões de governantes e legisladores. Por meio da publicação, a população tem mais condições de acompanhar, avaliar e fiscalizar as iniciativas do governo. Decretos, portarias, despachos, apostilas estão ao alcance de qualquer cidadão.

Por ser uma empresa estatal, a Imesp assegura não apenas a publicidade (no sentido de tornar público), mas também a perenidade e a autenticidade dos atos governamentais e de informações de entes privados de interesses da sociedade. O que está no site da Imesp fica preservado – diferentemente da publicação em algum site ou meio de comunicação privado.

Na área gráfica, somente em 2018, a Imesp produziu e distribuiu 67,2 milhões de livros didáticos para a Secretaria de Educação do Estado. Os livros chegaram a 5,3 mil pontos no Estado, beneficiando os estudantes de escolas públicas.