Jornalistas aprovam contraproposta e pedem aumento real

Assembleia mantém reivindicação de reposição inflacionária e 1% de ganho real

Por Adriana Franco - Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo

Consultados nas redações e em assembleia na sexta-feira (5) no Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJSP), os jornalistas de jornais e revistas da capital reiteraram sua proposta de reajuste pela inflação de 4,78% mais 1% de ganho real para todos, nos salários e nas demais cláusulas econômicas, rejeitando a proposta das empresas de reposição da inflação apenas para o piso salarial e ganho fixo de R$ 151,14 para os valores acima do piso.

A direção do Sindicato defende o aumento real em função do enxugamento das redações, que tem sobrecarregado os jornalistas e aumentado a produtividade dos profissionais no dia a dia.

Nas cláusulas sociais, a categoria aceitou a contraproposta enviada pelas empresas para as cláusulas de assédio moral e sexual, com alguns ajustes, e também definiu parâmetros para uma nova redação da cláusula de Defesa Judicial como forma de proteger os jornalistas em caso de condenações judiciais com as empresas.

Além disso, os jornalistas concordam em manter as cláusulas sociais por dois anos e propõem que novas cláusulas, negociadas em comum acordo por meio de uma Comissão Paritária, possam ser incorporadas à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) antes deste prazo.

O SJSP encaminhou na sexta-feira (5)  as propostas da categoria para o sindicato patronal para dar continuidade às negociações.

Para saber mais sobre as outras rodadas de negociação da Campanha Salarial de Jornais e Revistas, clique aqui.