Jornalista e a covid na América Latina: já morreram mais de 70 trabalhadorxs da imprensa

Autoridades e empregadores devem cumprir e acatar aos protocolos sanitários para evitar mais contágios

Por FIJ - com tradução do SJSP / Foto: Adek BERRY / AFP

O escritório regional para América Latina e Caribe da Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ), união de sindicatos que agrupam mais de 600 mil trabalhadores da imprensa no mundo, recebe periodicamente, através de seus afiliados na região, informes sobre o estado dos trabalhadores do setor no contexto da covid-19.

Até o fechamento, recebemos uma preocupante quantidade de números de contágios e uma lamentável lista de falecidos por causa da doença. O jornalismo é uma profissão que se exerce na rua e a serviço da comunidade que necessita de informação sobre a pandemia, por isso exigimos que as autoridades de cada país garantam os equipamentos de proteção e o cumprimento de protocolos sanitários para que todos os trabalhadores tenham e saibam como se cuidar durante o trabalho.

Lamentamos comunicar os falecimentos e manifestamos nossa solidariedade com seus familiares e colegas. Na FIJ, trabalhamos para capacitar sobre protocolos e medidas de prevenção e instamos aos responsáveis institucionais a cumprir os procedimentos estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para minimizar os efeitos do coronavírus na população.

Veja abaixo o número de mortos na região, por país

México: 5

República Dominicana: 3

Peru: 7

Equador: 55

Brasil: 4

Colômbia: 1