Jornalista da BBC pede demissão por receber menos que os homens

A jornalista Carrie Gracie anunciou nesta sua demissão do posto de correspondente da BBC China por receber menos do que os seus colegas do sexo masculino

Por Redação Portal Imprensa

Em uma carta aberta divulgada em seu blog, Gracie demonstrou desapontamento ao descobrir que seus dois colegas de trabalho recebiam "pelo menos 50% mais" do que mulheres em função similar. Fluente em mandarim, Gracie trabalhava para a emissora pública britânica há mais de 30 anos.

No ano passado, a BBC teve que revelar uma lista com o nome daqueles empregados que ganhavam um salário superior a 150 mil libras e não constava o nome da correspondente. De acordo com o jornal The Guardian, Gracie recusou uma oferta de um reajuste de 33% em seu salário, já que não buscava um aumento, e sim uma igualdade salarial.

Segundo informações da BBC, um porta-voz da empresa manifestou que existe "nenhuma discriminação sistêmica contra mulheres". Por outro lado, o próprio diretor geral da emissora, Tony Hall, reconheceu que é preciso acabar com a diferença salarial até 2020 e prometeu que a BBC será "um exemplo daquilo que deveria ser alcançado em termos de remuneração, justiça, gênero e representação.

Escrito por Portal Imprensa