Jornais e Revistas da Capital tem 4ª negociação neste dia 19

Pauta econômica continua em debate na Campanha Salarial. Confira também as informações da 3ª rodada, realizada em 12/6.

Por Flaviana Serafim - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

Na terceira rodada, empresários aceitaram repor a inflação sobre os salários, mas não concordaram com os 3% de aumento real reivindicados pelos jornalistas. Foto: Flaviana Serafim/SJSPNa terceira rodada, empresários aceitaram repor a inflação sobre os salários, mas não concordaram com os 3% de aumento real reivindicados pelos jornalistas. Foto: Flaviana Serafim/SJSPA Campanha Salarial de Jornais e Revistas da Capital tem nova rodada na manhã desta terça-feira (19) e, nesta quarta negociação, continua o diálogo sobre a pauta econômica entre o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) e o Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas de São Paulo (Sindjore), além das cláusulas sociais que estão em debate. A data base dos trabalhadores e trabalhadoras do setor foi em 1º de junho e a Convenção Coletiva continua válida até o próximo dia 30.

A pauta econômica já foi pauta da terceira rodada, realizada no último dia 12, e, na ocasião, os empresários concordaram em reajustar os salários pela inflação dos últimos 12 meses, acumulada em 1,76%, mas não aceitaram os 3% de aumento real reivindicados pela bancada dos jornalistas, ignorando o aumento da produtividade dos profissionais que estão com sobrecarga de trabalho diante do enxugamento das redações.

Confira a íntegra da pauta de reivindicações dos jornalistas. 

O patronal também propôs restringir a multa pela Participação nos Lucros e Resultados (PLR) às empresas que tiveram lucro, e congelar o valor do auxílio-creche e do vale refeição. Os representantes do Sindjore ainda propuseram reduzir a multa por atraso de salário, excluir o adicional de 40% por acúmulo de função, bem como a assistência do SJSP nos casos de demissão e em eventuais acordos relativos à estabilidade pré-aposentadoria,  propostas que a bancada dos jornalistas rechaça.

Além disso, os empresários não aceitaram a inclusão de novas cláusulas reivindicadas pelos jornalistas para a Convenção Coletiva, entre as quais uma nova redação ao item sobre assédio moral e sexual nas redações, alterado pelo SJSP com o intuito de melhorar o combate ao problema, nem aceitam cláusulas propostas para proteger a categoria contra a perda de direitos provocada pela “reforma” trabalhista.

“Estamos numa Campanha Salarial para defender as condições de trabalho que já estão difíceis, mas para tentar impedir que elas piorem de maneira grave. Vamos entrar nas redações nas próximas semanas para conversar com os jornalistas e também faremos assembleias”, explica Paulo Zocchi, presidente do SJSP.

Confira outras informações sobre a rodada neste vídeo com o sindicalista: