Interior e Litoral: Campanha Salarial de Jornais e Revistas tem 1ª rodada

Empresários querem reajuste zero e fim da PLR; proposta foi rechaçada pela bancada dos jornalistas

Por Flaviana Serafim - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

A direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) participou nesta quinta-feira (28) da primeira rodada de negociação da Campanha Salarial de Jornais e Revistas do Interior e Litoral, realizada na capital paulista, na sede do Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas no Estado de São Paulo (Sindjori). A primeira reunião deveria ter ocorrido no último dia 30 de maio, mas foi adiada a pedido dos representantes do patronal que alegaram dificuldades para chegar à negociação devido à greve dos caminhoneiros. 

Na Campanha Salarial 2018-2019, com data base neste 1º de junho, a bancada dos trabalhadores e trabalhadoras reivindica a reposição da inflação de 1,76%, acumulada nos últimos 12 meses, e mais 3% de aumento real por produtividade diante do enxugamento das redações e do aumento da carga de trabalho sobre os profissionais.

Porém, a primeira resposta do patronal à pauta de reivindicações foi prontamente rechaçada pela bancada dos jornalistas, pois a direção do Sinjori iniciou a negociação propondo reajuste zero sobre os salários e benefícios.

O Sindjori ainda propôs retirar da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) um parágrafo da cláusula sobre a época de pagamento de salário com o intuito de retirar a obrigatoriedade do adiantamento de 40% no 20º dia do mês trabalhado (5ª cláusula da atual CCT), além do fim da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) - hoje R$ 955, valor que corresponde anualmente a 3% do rendimento dos profissionais considerando o piso de 5 horas, e de 2% no caso do piso de 7 horas diárias.

Confira a íntegra da pauta de reivindicações 

Além da recusa imediata da proposta patronal, na mesa a bancada dos jornalistas defendeu a manutenção da CCT e a inclusão de novas cláusulas para proteção contra a “reforma” da CLT.

Na rodada deste 28 de junho, o único acordo definido foi a extensão da validade da atual Convenção Coletiva pelos próximos quatro meses enquanto seguem as negociações.

A segunda rodada é no próximo dia 11 de julho, na sede do Sinjori, no centro paulistano.

Veja outras informações sobre a primeira negociação neste vídeo com Paulo Zocchi, presidente do SJSP: