Fortaleza é a 5ª cidade do Brasil a proibir jornalistas sem diploma em órgãos públicos



A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), sancionou o Projeto de Lei (PL) que obriga os órgãos públicos do município a contratar apenas jornalistas com...



A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), sancionou o Projeto de Lei (PL) que obriga os órgãos públicos do município a contratar apenas jornalistas com graduação na área para o exercício da profissão. O PL foi iniciativa da vereadora Magaly Marques (PMDB) e teve como relator Guilherme Sampaio (PT).
Com mais essa aprovação, a capital do Ceará se torna a quinta cidade brasileira a proibir a contratação de jornalistas sem diploma para atuar em órgãos públicos, ao lado de Belo Horizonte, Campina Grande, Natal e Maceió. Os estados de Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul também aprovaram projetos com a mesma exigência.
No ano passado, políticos do Rio de Janeiro e do Amazonas apresentaram projetos semelhantes em seus respectivos estados, mas os PLs foram rejeitados.
Os projetos foram discutidos após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que em junho de 2009 derrubou a obrigatoriedade de graduação em jornalismo para o exercício da profissão.

Obrigatoriedade nacional

Um Projeto de Emenda à Constituição (PEC), que restabelece a exigência do diploma na esfera pública e privada, está em tramitação no Congresso Nacional. O PEC já foi aprovado em todas as comissões da Câmara e está pronto para ser votado em plenário. O projeto é apoiado por 109 parlamentares.