Em Jundiaí, jornalistas e gráficos retornam ao trabalho após greve vitoriosa

Após acertar acordo com direção da empresa, trabalhadores retornam às atividades, mas mantém estado de greve.
Após longas horas de negociação com direção da empresa...

jornal da cidade_jundia1

Após acertar acordo com direção da empresa, trabalhadores retornam às atividades, mas mantém estado de greve.

Após longas horas de negociação com direção da empresa mantenedora do Jornal da Cidade, em Jundiaí, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo e Sindicato dos Gráficos de Jundiaí chegaram a um acordo que colocou fim à greve iniciada na noite de segunda-feira, 2 de julho, mas os trabalhadores se manterão em estado de greve até que a direção da empresa cumpra integralmente as cláusulas do acordo que prevê pagamentos dos salários em atraso, das férias, resíduos da campanha salarial 2011 e a PLR e cestas básicas.

Os prazos para concluir os pagamentos dos salários em atraso vão até 30 de julho próximo. As demais questões dependem de liberação dos valores que estão retidos pela justiça de Jundiaí, mas a empresa terá 48 horas para quitar as dívidas após liberação do dinheiro.

Para José Augusto Camargo (Guto) a greve é vitoriosa, mas só será consolidada com o cumprimento de todas as cláusulas do acordo que inclusive prevê multa em caso de atraso nos pagamentos. “Nós, dos Sindicatos, em conjunto com os trabalhadores, estaremos vigilantes pelo cumprimento do acordo e ao menor sinal de deslize os jornalistas e gráficos entrarão em greve novamente. Cabe à direção do jornal cumprir o combinado e a partir de agora não mais atrasar os salários”.

No final da tarde de sexta-feira, 6 de julho, recebemos informação da direção da empresa, que foi confirmada pelos trabalhadores, sobre o pagamento da primeira parcela do acordo. Para José Eduardo de Souza, diretor do Sindicato que acompanha as redações da Grande São Paulo, o cumprimento da primeira parcela do acordo é um sinal de que a unidade dos jornalistas e gráficos deu certo. “Trabalhadores que se mantém unidos e organizados em suas entidades de classe só tem a ganhar. Conquistam direitos e respeito e, podem ampliar as conquistas. Não resta dúvida de que essa vitória dos colegas do Jornal da Cidade vai repercutir na grande São Paulo e significa novos tempos para o Sindicato dos Jornalistas”.