Categoria destaca importância da sindicalização

Para os profissionais, a entidade é essencial na luta coletiva contra a "reforma" trabalhista e a precarização das redações

Por Flaviana Serafim - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

Chico Lang em votação na TV Gazeta. Foto: Flaviana Serafim/SJSPChico Lang em votação na TV Gazeta. Foto: Flaviana Serafim/SJSPComeçou nesta terça (7) a eleição para a nova diretoria que estará à frente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP)  no período 2018-2021. A votação ocorre na capital, interior e litoral até quinta-feira (9) e, no mesmo pleito, a categoria também elege os representantes da Comissão de Ética do SJSP.

Nas redações, jornalistas ressaltaram a relevância de participar das eleições e de ser sindicalizado para que a união dos profissionais faça frente ao cenário de precarização e de retirada de direitos trabalhistas no país.

Chefe de reportagem da TV Gazeta, o apresentador e comentarista esportivo Chico Lang é sindicalizado há mais de uma década e afirma que uma das funções essenciais do Sindicato é que, por meio da entidade, a categoria faz as reivindicações coletivamente, “apesar da reforma trabalhista que veio para favorecer os patrões, com uma rasteira muito forte para os trabalhadores”.

Lang avalia que “o sindicato é algo que não pode terminar. Brigando sozinho, você não consegue nada, mas brigando com mais centenas de pessoas e uma entidade, isso já assusta, ainda mais que tem microfone na mão. Temos que valorizar nossa profissão e o que fazemos. O Sindicato é indispensável e por isso sou sindicalizado e serei sempre porque não pretendo parar de trabalhar tão já”, completa. 

Editorialista do jornal O Estado de S.Paulo, o escritor e jornalista Lourenço Dantas Mota é sindicalizado desde a década de 1960. “A importância de votar é porque o Sindicato dos Jornalistas é importante e espero que continue a ser. Tem que votar, não importa em quem nem como, isso é outro assunto. Independentemente das correntes políticas, o Sindicato em si é importante e por isso é que eu voto”, ressalta. 

Lourenço Dantas Mota e colegas de redação votando no Grupo Estado. Foto: Flaviana Serafim/SJSPLourenço Dantas Mota e colegas de redação votando no Grupo Estado. Foto: Flaviana Serafim/SJSPNa capital paulista e Grande São Paulo, votaram nesta terça-feira os profissionais de redações como Grupo Estado, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo (Imesp), Rádio Jovem Pan, Rede TV e TV Gazeta, além da Câmara Municipal de Guarulhos e do Sindicato dos Bancários de São Paulo Osasco e Região.

No interior e litoral, votaram os jornalistas do Diário do Grande ABC e da Rede TVT (ABC paulista), do Diário de Marília e do Jornal da Manhã (Marília), do Jornal da Cidade (Bauru), da EPTV (Campinas), da TV Tribuna e do jornal A Tribuna (Santos), e do Cruzeiro do Sul (Sorocaba).

A categoria ainda votou na sede do Sindicato, no centro da capital, nas Regionais do SJSP e nas Subsedes da CUT em todas as regiões do estado paulista.

Chapa “Audálio Dantas – Por Direitos e Democracia”

A única chapa inscrita às eleições no SJSP é a “Audálio Dantas – Por Direitos e Democracia”, uma homenagem ao mais importante presidente da história da entidade, o jornalista Audálio Dantas que morreu no último 30 de maio, aos 88 anos.

Encabeçada pelo atual presidente, Paulo Zocchi, jornalista da Editora Abril, a chapa é da direção e da Central Única dos Trabalhadores (CUT), e tem como proposta continuar, ampliar e reforçar o trabalho da atual gestão na organização dos jornalistas em seus locais de trabalho em defesa de seus direitos, sobretudo diante da “reforma” da CLT.

A chapa também amplia a participação das mulheres, com o mínimo de 50% para compor a Diretoria Plena, a Diretoria Executiva e as direções de ação sindical, como determina o novo Estatuto do Sindicato, aprovado em agosto do ano passado durante o 15º Congresso Estadual dos Jornalistas. 

Confira os nomes dos candidatos e candidatas que integram a Chapa 1 e também os locais de votação clicando aqui.