Demitidos Abril: Plano de recuperação insere 16 de fevereiro de 2020 como prazo dos créditos trabalhistas

Freelancers continuam sem perspectiva de pagamento e luta continua

Por Adriana Franco - Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo

O plano de recuperação da Abril, que será votado na assembleia de credores nesta terça-feira (06), fixa a data de 16 de fevereiro de 2020 como prazo de pagamento final dos créditos trabalhistas de até R$ 350 mil. O prazo é o mesmo conquistado pelos trabalhadores demitidos  no acordo coletivo de trabalho que foi aprovado em maio e agora foi incluído na proposta a ser apresentada amanhã (06) na assembleia de credores.

O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo (SJSP) luta para garantir os direitos e o pagamento dos jornalistas freelancers, que foram enquadrados nas classes 3 e 4 no plano de recuperação judicial e não tem prazo determinado de pagamento. O SJSP entende que os créditos possuem caráter de verba alimentar e, por isso, devem ser pago como tais. No plano de recuperação, o prazo inicial de pagamento está condicionado à homologação da assembleia de credores. O Sindicato alerta que a confirmação final da homologação da assembleia só acontecerá em poucas semanas caso nenhum credor recorra da decisão na justiça, o que deixa os trabalhadores sem garantias de que não demorará anos para receber.

O SJSP representará os jornalistas demitidos de forma a garantir que a vontade da categoria prevaleça durante a assembleia que colocará o plano de recuperação em discussão.

A assembleia de credores que votará o plano de recuperação da Editora Abril acontecerá um ano após a demissão em massa da empresa que entrou em recuperação judicial em 15 de agosto de 2018 e não pagou os direitos dos trabalhadores demitidos.