Demissões em massa no portal R7 vão a julgamento nesta terça (19)

Tribunal Superior do Trabalho da 2ª Região julga demissão de 38 jornalistas após greve em protesto contra mudança arbitrária da escala de plantão de final de semana

Liminar proibiu a Rede Record de fazer novas demissões até o julgamento. Foto: Pixabay/CCLiminar proibiu a Rede Record de fazer novas demissões até o julgamento. Foto: Pixabay/CCO Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT2-SP) vai julgar a demissão em massa de 38 jornalistas do portal R7 em audiência nesta terça-feira (19), às 15h30, no centro da capital paulista. O julgamento é resultado de uma liminar suscitada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP), na qual a entidade reivindica a reintegração dos demitidos desde o último dia 1º de dezembro.

O pedido de reintegração será analisado na audiência, mas na liminar, o desembargador Carlos Roberto Husek, vice-presidente do TRT2-SP, proibiu a Rede Record de fazer novas demissões até o julgamento, sob pena de multa diária de R$ 15 mil por jornalista dispensado.

Em represália à greve realizada pelos profissionais no último dia 30, contra a mudança arbitrária da escala de plantão de final de semana imposta pela Rede Record, a direção da empresa demitiu 20 jornalistas na tarde da última sexta-feira (15) e outros profissionais já haviam sido demitidos desde 1º de dezembro por conta da paralisação das atividades.

O movimento grevista foi espontâneo e iniciado pelos jornalistas em 30 de novembro, quando os trabalhadores e trabalhadoras receberam um e-mail da empresa informando que, a partir de janeiro, a escala de plantão vai mudar de 3 x 1, ou seja, de um final de semana trabalhado para três de folga, para 2 x 1, com dois fins de semana de trabalho e somente um de descanso. A mudança, arbitrária, sem diálogo prévio com os profissionais e nem com o Sindicato, gerou revolta e a decisão de paralisar as atividades e, por isso, a alteração também será avaliada pelo TRT2-SP.

Para a direção do SJSP, com a demissão em massa a Record traiu o compromisso firmado com seus jornalistas, que era o de dialogar sobre a escala de plantão, e já na sexta-feira (15) o Sindicato tomou as medidas judiciais cabíveis contra a dispensa dos profissionais. No mesmo dia, os jornalistas demitidos do portal também divulgaram uma carta no site do SJSP relatando o caso.

Como se não bastassem a arbitrariedade da mudança, a truculência e perseguição aos grevistas com a demissão coletiva, em nenhum momento a Record sequer apresentou contrapartidas à alteração da escala, numa postura intransigente e de desrespeito aos jornalistas, criticam os dirigentes do Sindicato.

Escrito por: Flaviana Serafim - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo