Cineclube Vladimir Herzog apresenta “Sob a Pata do Boi” e debate o retrocesso ambiental no Brasil

Após a exibição do filme, haverá debate com realizadores do filme

Por Cineclube Vladimir Herzog

O Cineclube Vladimir Herzog exibe o filme “Sob a Pata do Boi”, na última terça-feira de setembro, dia 24, às 19h. O documentário revela como opera a cadeia da pecuária na Amazônia, principal vetor de desmatamento da maior floresta tropical do mundo. Fruto de dois anos de investigação jornalística em campo, com mais de cinquenta horas de entrevistas gravadas em cinco estados do Brasil (Pará, Mato Grosso, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília), o filme mostra um panorama inédito da cadeia da pecuária, trazendo as múltiplas visões dos atores envolvidos na indústria - dos pequenos produtores em assentamentos rurais aos donos de frigoríficos e políticos.

Segundo o diretor Marcio Isensee e Sá, o documentário conta como a pecuária entrou na Amazônia e se tornou seu principal vetor de desmatamento, revelando suas práticas hoje, quase uma década após começar a sofrer as primeiros pressões para eliminar suas ilegalidades. “Dentro e fora do Brasil, muita gente sequer sabe que existe boi na Amazônia. Nosso objetivo é mostrar que não só a pecuária é uma das principais atividades econômicas da Amazônia hoje, como tornou-se forte elemento cultural da região”, aponta.

O debate é mais que fundamental para o momento. O número de queimadas na Amazônia neste ano é o maior desde 2010, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Já são mais de 56,6 mil focos, 42% a mais do que no mesmo período de 2018. O fogo no bioma gerou uma crise internacional para o governo de Jair Bolsonaro. Um estudo realizado pelo Ministério Público Federal aponta que cerca de um terço das áreas de desmatamento ilegal na Amazônia foram alvo de queimadas em 2019, o que representa cerca de 170 mil hectares desmatados entre 2015 e 2017.

O filme foi vencedor do prêmio One Hour Award, concedido pelo Ministério da Cultura da França durante o Festival Recherche et Développement Durable (FReDD), em Toulouse, e recebeu menção honrosa do júri na categoria 'Curtas' da Competição Latino-Americana na 7ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental.

O documentário é parte do projeto Rumo ao Desmatamento Zero, parceria do site de jornalismo ambiental ((o))eco com a ONG Imazon que, desde 2016, vem produzindo reportagens investigativas que buscam entender o efeito das medidas de pressão sobre a cadeia da pecuária, expondo os desafios, os fracassos e apontando possíveis soluções.

A sessão contará com debate após a exibição com a presença de Juliana Tinoco, roteirista do filme. Juliana é jornalista multimídia especializada em meio ambiente, ciência e direitos humanos. Há uma década vem cobrindo temas relacionados a mudanças climáticas, sustentabilidade, desmatamento e conflitos por recursos naturais. Juliana é formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e tem mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela London School of Economics and Political Science (Londres/UK).

Cineclube Vladimir Herzog

O Cineclube Vladimir Herzog é uma iniciativa do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJSP), do Sindicato dos Arquitetos no Estado de São Paulo (SASP) e tem o apoio de militantes cineclubistas do cineclube Baixo Augusta. A proposta é resgatar espaço importantíssimo na resistência à ditadura e na luta pela redemocratização do país. Naquele tempo, filmes como “O Homem que Virou Suco”, de João Batista de Andrade, chegaram a um imenso público a partir das sessões realizadas por este cineclube. As sessões são sempre nas últimas terças-feiras de cada mês, seguidas por debates com realizadores dos filmes e/ou convidados. Para mais informações, visite nosso blog e nossas páginas nas redes sociais.

“Sob a Pata do Boi”

Data: 24 de setembro (terça-feira), às 19h.

Local: Rua Rêgo Freitas, 530, Sobreloja, República, São Paulo, SP (Sindicato dos Jornalistas de São Paulo)

Exibição gratuita