Censura a jornalistas: Sindicato quer reunião com Secretaria de Comunicação da capital

Sindicato quer debater medidas contra a censura e a discriminação de jornalistas da mídia sindical que cobrem a gestão municipal

Por Redação - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

O prefeito Doria na coletiva de imprensa sobre a previdência dos servidores municipais. Foto: Luiz Guadagnoli/Secom-PMSPO prefeito Doria na coletiva de imprensa sobre a previdência dos servidores municipais. Foto: Luiz Guadagnoli/Secom-PMSPO Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) enviou ofício nesta quarta-feira (28) ao secretário especial de Comunicação da Prefeitura Municipal de São Paulo, Fábio Souza dos Santos, solicitando uma reunião para debater casos de discriminação e censura a jornalistas da mídia sindical.

Como o SJSP denunciou em nota, jornalistas da Central Única dos Trabalhadores de São Paulo (CUT/SP) e do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep) foram impedidos de acompanhar, nesta terça-feira (27), uma coletiva de imprensa com o prefeito João Doria (PSDB) sobre o projeto de alteração da previdência dos servidores públicos da capital paulista, realizada na Prefeitura Municipal.

No ofício, o SJSP ressalta a importância da defesa de todos os jornalistas, independentemente do veículo de comunicação para o qual trabalham, pois o trabalho jornalístico e a diversidade de pontos de vista são essenciais ao direito da sociedade à informação. 

Confira a íntegra do ofício, encaminhado à Secretaria Especial de Comunicação da Prefeitura Municipal de São Paulo:

"Ilmo. Sr. Fábio Souza dos Santos,
Secretário Especial de Comunicação da Prefeitura de São Paulo

Prezado Sr.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) foi informado de dois casos de jornalistas que não puderam ter acesso à coletiva de imprensa concedida pelo prefeito João Doria sobre o projeto de alteração da Previdência dos servidores públicos municipais, realizada nesta terça-feira, dia 27.

Um dos casos ocorreu com o jornalista do Sindsep, Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo, que teve o seu acesso ao recinto da coletiva barrado por funcionários, guarnecidos pela GCM, sob a alegação de que "sindicato não entra", como nos foi relatado.

O outro diz respeito à solicitação de informação sobre os procedimentos necessários para credenciamento para a cobertura da citada coletiva feito por um jornalista da assessoria de imprensa da CUT - São Paulo, que formalizou a solicitação encaminhada por email, conforme foi solicitado, porém  sem o retorno que viabilizasse a sua presença na coletiva.

Diante desses fatos, o Sindicato dos Jornalistas, prevenindo outros desencontros, vem solicitar uma audiência com V.Sa. , pela qual se formalize um rol de procedimentos para o credenciamento de jornalistas, que seria amplamente divulgado a toda a categoria, pelos meios de comunicação do SJSP.

Este sindicato tem defendido publicamente em todas as ocasiões que se faz necessário, que todos os jornalistas, independentemente do órgão de imprensa a que estejam vinculados, têm o direito de exercer a sua profissão, mister imediatamente vinculado ao direito de informar e da sociedade ser informada, o que garante a diversidade de pontos de vista, e que os mais variados públicos tenham acesso aos fatos que dizem respeito a toda a sociedade.

Aguardando o agendamento solicitado, despedimo-nos sublinhando nossos protestos de elevada estima e consideração.
 

Paulo Leite Moraes Zocchi
Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP)"

Leia também:
Prefeitura de São Paulo discrimina e censura mídia sindical