Campanha Salarial de Rádio e TV: pauta foi entregue às empresas

Em defesa dos salários e os direitos dos jornalistas

Por Redação

O Sindicato dos Jornalistas no Estado de São Paulo entregou a pauta de reivindicações dos profissionais ao patronal do setor, solicitando a abertura das negociações. Protocolada no dia 8 de outubro, a pauta foi aprovada em assembleia virtual da categoria, que decidiu que a campanha salarial 2020/2021 vai ser focada na defesa dos salários e empregos. A data base é 1º de dezembro.

Em relação às pautas econômicas, os jornalistas reivindicam a reposição da inflação do período e mais 4,5% (perda salarial entre 2015 e 2017). A defesa dos salários em valores reais enfrenta uma situação na qual algumas empresas do setor impuseram redução salarial aos seus trabalhadores, com o aval à “negociação” salarial dado pela Medida Provisória 936 do governo Bolsonaro.

Os jornalistas também defendem a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho. Mas nas cláusulas sociais, querem fazer dois debates em especial: o primeiro, sobre a escala de trabalho aos finais de semana. Como consta na Convenção Coletiva, as empresas podem adotar uma escala na qual os jornalistas trabalham 12 dias seguidos e pela qual os domingos trabalhados são compensados como um dia comum, sem dar nada em troca pelo fato do jornalista trabalhar no dia que deveria ser de descanso – é a escala 1x1.

Essa cláusula, lesiva aos profissionais, tem sido aplicada em conjunto com o banco de horas previsto na Convenção, de forma que em várias empresas o jornalista trabalha fazendo horas extras que, ao final, vão entrar no cálculo da escala. A reivindicação é que a escala seja de, no mínimo, 2x1, de modo que o domingo trabalhado gere dois sábados de folga.

Os trabalhadores também reivindicam uma cláusula que regule as relações em caso de homeoffice, com garantia de controle de ponto, ajuda de custo para gastos com internet, telefone, luz com que o profissional passa arcar, e responsabilização da empresa pelo fornecimento de equipamentos e de condições de saúde do trabalho.

Confira a pauta aprovada pela categoria.