Assembleia elege delegados ao 38º Congresso Nacional dos Jornalistas

Emendas que serão levados ao debate nacional da categoria foram votadas

Por Adriana Franco - Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

Delegação do SJSP eleita ao 38º Congresso Nacional dos JornalistasDelegação do SJSP eleita ao 38º Congresso Nacional dos Jornalistas

Em assembleia, nesta segunda-feira (05), foram eleitos os sete delegados ao 38º Congresso Nacional dos Jornalistas, que acontece de 22 a 24 de agosto em Fortaleza (CE): Paulo Zocchi, Márcia Quintanilha, Márcio Garoni, Norian Segatto, Lilian Parise, Fabiana Caramez e Cláudio Soares compõem a delegação eleita do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP). Evany Sessa foi eleita como suplente e Telé Cardim como observadora.

Além de eleger a delegação, a assembleia debateu ainda as emendas que deverão ser apresentadas pelo Sindicato no Congresso da categoria, que apresentou teses em quatro eixos temáticos: conjuntura, organização sindical, jornalismo na atualidade e regulamentação da profissão.

Emendas

O SJSP debateu a apresentação de uma tese avulsa sobre a forma de eleição da direção da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj). A proposta é que a eleição se dê em Congresso, a partir de uma representação proporcional de delegados. Como o Congresso não foi chamado com o objetivo de alterar o estatuto, o tema só poderá ser levado como uma recomendação e, se aprovado, deverá ser encaminhado ao Conselho de Representantes – instância de deliberação da Federação responsável pela mudança estatutária.

O argumento da proposta é tornar ainda mais democrática a eleição da Fenaj. Além de garantir a proporcionalidade de representação dos sindicatos de acordo com o tamanho da base, a eleição durante o Congresso ampliaria a possibilidade de jornalistas integrarem as chapas que disputam a eleição. O debate foi pontuado por opiniões diversas, mas ao final houve convergência em encaminhar o tema para o Congresso para que seja aprofundado pelos demais jornalistas de todo o país.

Outro ponto apresentado defendia a supressão da parte do Código Nacional de Ética que determina a composição das Comissões de Ética em cada sindicato. Com a supressão, cada entidade sindical poderá determinar o formato de sua comissão. A proposta, que havia sido aprovada no 15º Congresso Estadual dos Jornalistas de São Paulo em 2017, foi acolhida por unanimidade.

Entre as emendas aditivas, a assembleia aprovou o texto que sugere a incorporação da moção aprovada no Congresso da Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) e aborda a conjuntura brasileira de ataque à democracia e aos direitos sindicais no Brasil defendendo a luta por Lula livre. Outras emendas aditivas, supressivas e substitutivas foram debatidas e aprovadas em assembleia e serão encaminhadas para apreciação da categoria no 38º Congresso Nacional dos Jornalistas.